header print

Febre Amarela: Baixa Procura por Vacina Pode Trazer Riscos

 Recentemente, o Brasil passou pelo maior surto de febre amarela que já teve, chegando a 1.311 casos registrados e 450 mortes no período de 1º de janeiro a 8 de novembro deste ano. São números assombrosos para uma doença que pode ser evitada com vacinação. Infelizmente a população vai atrás da vacina apenas quando os casos e mortes são noticiados em rede nacional ou nas redes sociais. 
 
Febre amarela

Sendo causada por um vírus transmitido pela picada de mosquitos vetores infectados, ela deve ser contida com medida preventiva que é a vacinação. Ela não é contagiosa, mas tem letalidade em torno de 40%. O último caso de febre amarela urbana foi registrado no Brasil em 1942.

Como aponta Akira Homma, assessor científico sênior do Instituto de Tecnologia em Imunológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz), anteriormente a febre amarela era restrita à região Amazônica, mas passou a se espalhar pelo país devido a fatores como desmatamento, desequilíbrio ecológico, mudanças climáticas, construção de casas em locais de mata e crescimento desordenado das cidades.

Com a chegada do verão, o governo tem começado a alertar toda a população, principalmente quem vive em áreas com evidências da patologia. Essa época do ano é a de maior risco de transmissão, visto que com as altas temperaturas a reprodução dos mosquitos transmissores aumenta e, por consequência, a potencial de circulação do vírus. 

Febre amarela

A importância da vacinação é evidente agora mais do que nunca. Este ano, foram enviadas para todo o país 30 milhões de doses da vacina e, após o último surto, a vacinação foi ampliada para 4.469 municípios. As proximidades de capitais e áreas metropolitanas das regiões Sudeste e Sul, receberam maior atenção, pois se tornaram áreas com maior evidência da circulação viral. Mas apesar disso, o Ministério da Saúde tem informado que a procura tem sido baixa por parte da população. 

Ainda segundo o Ministério da Saúde, apenas 50% dos brasileiros estão protegidos contra a doença. Homma afirma: "Apesar da grande quantidade de informações divulgadas e toda a correria que houve no ano passado, a procura ficou bem abaixo do esperado, e não sabemos exatamente o porquê".

Febre amarela

A vacina contra a febre amarela está sendo distribuída nos postos do Sistema Único de Saúde (SUS) durante todo o ano e é indicada para pessoas com idades entre 9 meses e 59 anos que residam em áreas recomendadas ou que tenham a pretensão de viajar para essas regiões. Gestantes e idosos devem procurar orientação médica a respeito dessa vacinação. 

Além da vacina, recomenda-se outros cuidados como: 

  • Não frequentar as áreas consideradas de risco como matas, florestas, rios, cachoeiras, parques e o meio rural;
  • Usar de repelente de insetos e roupas leves que cubram a maior extensão possível de pele;
  • Utilizar mosquiteiros e telas nas janelas;
  • Combater a proliferação dos mosquitos, mantendo as casas e as ruas limpas e não deixando água parada.

Fonte do conteúdo e Imagens 

Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Clique aqui "Registre-se", para concordar com os Termos e a Política de Privacidade
Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Clique aqui "Registre-se", para concordar com os Termos e a Política de Privacidade