header print

10 Equívocos que cometemos sobre o câncer de mama

O Editor: Anna D.
 Todos nós erramos algumas coisas, e isso geralmente é bom, pois a maioria de nossos equívocos são irrelevantes. Mas algumas de nossas falsas crenças apresentam sérios riscos. É devido ao seu potencial de causar danos que os mitos sobre a saúde são tão importantes de combater.
Só no ano passado, 2,3 milhões mulheres receberam o diagnóstico de câncer de mama. Dado que o câncer de mama é o tipo de câncer mais prevalente no mundo, é especialmente importante para todos, e nós queremos saber as informações mais corretas e atualizadas sobre ele. Neste artigo, esclarecemos 10 dos mal-entendidos mais comuns sobre essa doença perigosa.

Mito 1. Antitranspirantes, sutiãs com armação e carregar um telefone no bolso do sutiã ou da camisa aumentam o risco de câncer de mama.

Mitos do câncer de mama
Você pode ter ouvido na TV que carregar um telefone no sutiã ou nos bolsos da camisa aumenta o risco de câncer de mama. Desodorantes e sutiãs com armação também foram acusados ​​de adulterar os nódulos linfáticos e causar o acúmulo de produtos químicos tóxicos nos seios. Todas essas alegações não têm evidências para apoiá-las.
Além disso, há um estudo de 2014 que analisou o impacto do uso de sutiã na ocorrência de câncer de mama em 1.500 mulheres que refutou a afirmação de que qualquer tipo de sutiã tem impacto sobre o risco de câncer de mama.
Da mesma forma, não há ligação entre câncer de mama e antitranspirantes, e o boato exagerado sobre antitranspirantes nas axilas que causam câncer vem de estudos que encontraram alumínio no tecido mamário de mulheres que usaram antitranspirantes que contêm alumínio ou de estudos de tubo de ensaio em ratos e hamsters.
No entanto, a presença de alumínio não está relacionada ao câncer de mama humano de forma alguma, conforme mostrado por um estudo de revisão de 2008, bem como um artigo recente de 2021. Portanto, não há razão para você ficar longe de antitranspirantes, sutiãs e seu smartphone no bolso da jaqueta se você estiver preocupada com câncer de mama.

Mito 2. Pessoas sem histórico familiar de câncer de mama nunca terão a doença.

Mitos do câncer de mama
Embora seja verdade que alguns tipos de câncer de mama podem ser transmitidos de mães para filhas, 90-95% das pacientes com essa condição não têm histórico familiar da doença. Ter um familiar ou parente distante que teve câncer de mama, câncer de próstata ou câncer de ovário é apenas um dos muitos fatores de risco da doença - e nem mesmo é o maior fator de risco que os cientistas conhecem.
Como disse o Dr. Michael Zeidman, professor assistente de cirurgia de mama no Mount Sinai, na cidade de Nova York, ao Medical News Today, “o fator de risco mais significativo para o desenvolvimento de câncer de mama é ser mulher. Nos Estados Unidos, 1 em cada 8 mulheres desenvolverá câncer de mama ao longo da vida.”
A triste verdade é que o câncer de mama é imprevisível e pode se desenvolver em qualquer pessoa, razão pela qual toda mulher com mais de 40 anos deve fazer uma mamografia anual. Aqueles com histórico familiar de câncer podem precisar iniciar exames anuais ainda mais cedo, então, se for você, consulte seu médico.

Mito 3. As mamografias aceleram a propagação do câncer de mama.

Mitos do câncer de mama
A mamografia é uma imagem ou raio-X da mama e é a maneira mais eficaz de detectar o câncer de mama desde o início. As pacientes que se submetem ao procedimento geralmente ficam preocupadas com o fato de que a compressão ou a radiação da mamografia podem fazer com que o câncer de mama se espalhe para os tecidos vizinhos.
No entanto, não há evidências para confirmar esta afirmação. O Instituto Nacional do Câncer garante âs pacientes: “As mamografias requerem doses muito pequenas de radiação. O risco de danos decorrentes desta exposição à radiação é extremamente baixo. ” Certamente, o benefício potencial da detecção precoce do câncer de mama supera em muito a exposição mínima à radiação.

Mito 4. O açúcar pode gerar ou acelerar a disseminação do câncer de mama.

Mitos do câncer de mama
Este mito é um pouco mais complicado. Isso vem da suposição correta de que as células cancerosas consomem mais açúcar (glicose) do que as células saudáveis. No entanto, isso não significa que o açúcar causa câncer ou faz com que ele se espalhe mais rápido. A glicose é simplesmente o único combustível disponível para as células humanas.
Todas as células absorvem o açúcar do sangue e o usam para manter e se desenvolver, e as células cancerosas tendem a se desenvolver mais rapidamente, então gastam mais glicose. Não há nenhuma evidência direta e convincente entre o consumo de açúcar e o câncer de mama, em particular.
Mas não nos entenda mal - não estamos dizendo que você deve devorar doces a partir de agora, porque não há uma ligação direta entre açúcar e câncer. O consumo excessivo de açúcar, especialmente de alimentos processados ​​ou açúcar adicionado, ainda aumenta a inflamação, causa picos de insulina e aumenta o risco de doenças cardíacas e diabetes. O diabetes, em particular, está relacionado a um risco maior de tipos agressivos de câncer de mama, portanto, ainda recomendamos consumir o mínimo possível.

Mito 5. Uma lesão na mama causa câncer de mama.

Mitos do câncer de mama
Os médicos garantem que não há ligação entre lesões mamárias e câncer de mama. No entanto, uma lesão anterior pode fazer com que seu médico marque uma biópsia após uma mamografia. Isso acontece porque os sinais de lesão podem parecer câncer em um raio-X.
Como o Dr. Zeidman apontou em sua declaração, as lesões “podem causar alterações na mama que podem imitar o câncer de mama nas imagens. Esse processo é chamado de 'necrose gordurosa' e pode se parecer com uma massa irregular com bordas irregulares em uma mamografia, muito parecido com o aparecimento de um novo câncer de mama. ” Uma biópsia é necessária para distinguir entre necrose gordurosa e câncer de mama.

Mito 6. Todo o nódulo nos seios é câncer de mama

Mitos do câncer de mama
Os médicos estão recomendando a todos que façam um autoexame uma vez por mês e verifiquem se há caroços ou massas. Se você notar um nódulo persistente, marque uma consulta com seu médico assim que possível. Na grande maioria dos casos, um nódulo na mama acaba sendo outra coisa, como um nódulo linfático inchado ou um cisto, por exemplo, e não câncer de mama. No entanto, ainda é importante obter uma opinião profissional, e algumas dessas causas não cancerosas também precisam de tratamento. Resumindo a história - quando se trata de caroços suspeitos, é melhor prevenir do que remediar.

Mito 7. Todos os tipos de câncer de mama se manifestam por meio de um nódulo.

Mitos do câncer de mama
Os autoexames são importantes e úteis, mas não notar um caroço ou qualquer coisa incomum durante um autoexame não significa que você pode pular suas mamografias anuais. Em primeiro lugar, o câncer de mama nem sempre surge como um caroço. Alguns cânceres de mama avançados que se espalham para outras partes do corpo podem não ser notados durante o autoexame.
Em segundo lugar, o câncer de mama em estágio inicial pode não ser notado simplesmente sentindo com os dedos. É exatamente por isso que existem mamografias e outros exames - para detectar esses cânceres mais perigosos e em estágio inicial o mais rápido possível.

Mito 8. Apenas mulheres de meia-idade ou mais velhas podem ter câncer de mama.

Mitos do câncer de mama
O envelhecimento é um fator de risco conhecido para câncer de mama: uma paciente com câncer de mama tem, em média, 61 anos. Mas o risco de desenvolver a doença antes dos 40 anos é maior do que você pensa. Cerca de 5% dos novos pacientes com câncer de mama estão na faixa dos 30, 20 anos e até na adolescência. No entanto, a maioria desses diagnósticos precoces está realmente ligada a uma história familiar de câncer de mama, razão pela qual aqueles que têm uma tendência genética para desenvolver câncer devem considerar iniciar exames regulares em uma idade mais jovem.

Mito 9. FIV e abortos aumentam o risco de câncer de mama.

Mitos do câncer de mama
O estrogênio é um hormônio sexual que controla o sistema reprodutor feminino, e os médicos sabem que o estrogênio também desempenha algum papel no desenvolvimento do câncer de mama. Tanto os tratamentos de fertilização in vitro (FIV) quanto os abortos mudam os níveis de estrogênio no corpo, razão pela qual surgiu o mito de que eles aumentam o risco de câncer de mama.
Existem mais de 30 anos de pesquisas sugerindo que a fertilização in vitro não contribui para o câncer de mama. Da mesma forma, vários grandes estudos chegaram à mesma conclusão com relação ao aborto, incluindo um grande estudo na Dinamarca que incluiu 1,5 milhão de mulheres. Todas essas evidências sugerem que ambos os procedimentos não aumentam o risco de câncer de mama.

Mito 10. Os homens não podem ter câncer de mama.

Mitos do câncer de mama
A grande maioria dos pacientes com câncer de mama é do sexo feminino. Mas não se engane, os homens também podem ter essa condição, especialmente aqueles com histórico familiar de câncer de mama. Em 2017, por exemplo, os Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) registraram 2.300 novos casos de câncer de mama masculino, incluindo 500 mortes, somente nos Estados Unidos.
Como muitos homens não sabem que podem ter câncer de mama e geralmente são diagnosticados muito mais tarde do que as mulheres, a taxa de mortalidade do câncer de mama masculino é maior do que a das mulheres. Por esse motivo, o autoexame é igualmente importante para homens e mulheres. Certifique-se de apontar qualquer dor ou caroço na área do peito para a atenção do seu médico, independentemente do seu sexo fisiológico.
Compartilhe essas informações com pessoas que as acharão úteis!
Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Clique aqui "Registre-se", para concordar com os Termos e a Política de Privacidade
Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Clique aqui "Registre-se", para concordar com os Termos e a Política de Privacidade