header print

A Conexão Entre Falta de Sono e Dores

O Editor: Bruna Santos

 A correlação entre a privação do sono e uma maior sensibilidade à dor não é aparente, mas pode existir. Em um artigo de 2018, pesquisadores da Universidade da Califórnia, em Berkeley, estabeleceram que nossos cérebros podem desligar seu equipamento de "proteção contra dor" nos dias em que não dormimos o suficiente.

Agora vamos aprofundar um pouco mais as descobertas deste artigo e tentar entender o que nos deixa tão irritados e mal-humorados quando dormimos muito pouco.
 

O experimento

Para examinar a conexão entre dor e falta de sono, os pesquisadores realizaram um experimento usando imagens de ressonância magnética funcional (FMRI), durante o qual foi registrada uma série de atividades cerebrais dos participantes expostos a um calor crescente em uma de suas pernas. Uma vez que o paciente notou que o calor se tornava insuportável, esse ponto foi estabelecido como o limiar da dor e os pesquisadores pararam de registrar a atividade cerebral.

 
privação do sono

Descobertas

1. Como os participantes reagiram à dor?

Os resultados surpreenderam até os próprios pesquisadores. Apesar do pequeno tamanho da amostra (25 participantes), os pesquisadores conseguiram estabelecer que o limiar para a dor térmica entre os indivíduos bem descansados era 44°C, enquanto o grupo privado de sono poderia suportar 4 graus a menos.

2. Quais regiões cerebrais poderiam explicar a diferença de sensibilidade à dor?

A região do cérebro responsável pela percepção da dor, o córtex somatossensorial primário (destacado em laranja na foto abaixo), foi significativamente mais responsivo nos indivíduos privados de sono.

privação do sono

O achado mais interessante e surpreendente, no entanto, foi relacionado a outras partes do cérebro, o estriado e a ínsula (esquematicamente destacadas abaixo em roxo).

Essas regiões são responsáveis por produzir um hormônio ligado à tolerância à dor, entre outras coisas, a dopamina. Os cérebros das pessoas que não dormiam o suficiente produziam significativamente menos dopamina, o que os tornava piores em tolerar estímulos dolorosos do que o grupo controle. Por fim, os pesquisadores concluíram que o efeito da privação do sono pode durar vários dias, onde os indivíduos que dormiram menos continuaram sendo mais sensíveis aos dias de dor depois de dormir pouco.

privação do sono

3. Que conclusões podemos fazer deste estudo?

• Essas descobertas abriram nossos olhos para o problema da sensibilidade à dor induzida pela privação de sono. Isto é particularmente importante aos pacientes do hospital, que podem estar sofrendo mais dor por causa das salas barulhentas em que eles têm que ficar.

• Os dados também podem ser relevantes para pessoas que sofrem de condições crônicas dolorosas, pois um sono de qualidade pode diminuir sua sensibilidade à dor.

• Finalmente, ainda está para ser descoberto se a mesma dor e a ausência de sono podem ser estendidas às experiências psicológicas que temos quando não dormimos o suficiente: irritabilidade e nervosismo.

O que fica realmente claro, no entanto, é que os cientistas encontraram mais um motivo para termos uma boa noite de sono todos os dias. Se você quiser saber mais sobre a ciência e os perigos da privação do sono, clique em O que acontece com seu corpo quando você não dorme. Se conhecer a importância do sono não for suficiente para você e você estiver procurando por dicas e técnicas infalíveis para dormir bem, leia sobre os exercícios respiratórios que podem ajudar a melhorar seu sono e nossa meditação guiada do sono.

Bons sonhos!

Fonte: newatlas.com 

Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Clique aqui "Registre-se", para concordar com os Termos e a Política de Privacidade
Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Clique aqui "Registre-se", para concordar com os Termos e a Política de Privacidade