header print

10 Dicas Para Tornar As Crianças Mais Inteligentes

Você tem filhos ou netos em fase de crescimento e quer reforçar o talento dos pequenos? Pois saiba que isso é possível. Segundo cientistas, os primeiros dez anos da criança são os mais importantes e cruciais, pois é nesta fase que elas recebem muitos estímulos na formação do cérebro. Portanto, se você introduzir algumas dessas dez atividades nessa fase de crescimento da criança, ela ficará mais ágil, esperta e inteligente, como foi comprovado pela ciência. Veja abaixo:

 
1. Aulas de música

Um estudo realizado comprovou que a música pode tornar as crianças mais inteligentes durante o processo de crescimento. Este estudo mostrou que o grupo de crianças que frequentavam aulas de música tinham um QI maior comparada às outras. Embora seja um aumento relativamente pequeno, ainda assim pode trazer grandes vantagens para as crianças, principalmente no aprendizado escolar. Além disso, foi comprovado que aulas de música também pode ajudar efetivamente os idosos, trazendo melhorias no processo de envelhecimento.

 
2. Esportes

Outros estudos mostraram que crianças que estão em boa forma têm mais facilidade para aprender. Pesquisadores alemães comprovaram, em 2007, que as pessoas aprendem 20% mais rápido após a prática de exercícios. Em outro estudo, foi feito um estudo no qual um grupo de voluntários passou três meses praticando atividades físicas regularmente. Foram feitas imagens antes e depois do experimento e, após esse período, o hipocampo no cérebro cresceu cerca de 30 por cento. Trata-se da área responsável pela memória e aprendizado. Portanto, crianças que praticam esportes podem aprender com mais facilidade.

 
3. Leia com as crianças ao invés de somente ler para elas

Faça com que as crianças interajam na leitura ao invés de deixá-las somente ouvindo e vendo as figuras, pois isso vai melhorar a capacidade de leitura delas. Você também pode ajudá-las no caso de algumas palavras que elas não consigam entender.

 
4. Uma boa noite de sono é vital

Estudos mostraram a correlação entre notas e a quantidade de horas dormidas e comprovaram que uma hora a menos de sono pode levar até dois anos de atraso na formação e desenvolvimento das atividades cognitivas do cérebro. Neste estudo, foi mostrado que crianças que tinham nota A dormiam apenas 15 minutos a mais que os estudantes com nota B. Portanto, 15 minutos contam!

 
5. A disciplina conta mais que o QI no sucesso acadêmico

Estudos mostraram que é a força de vontade que termina o sucesso. Estudantes com muita força de vontade tinham desempenho escolar muito melhor, com menos faltas escolares. Além disso, passavam mais tempo focados nas lições de casa do que assistindo televisão. O estudo também comprovou que é esta força de vontade que determina boa notas, e não o QI, como muitos imaginam, com um efeito muito maior no desempenho acadêmico.

 
6. O aprendizado real é ativo

Jogos e aplicativos que dizem treinar o cérebro não funcionam. Na verdade, não têm efetividade no período de crescimento de 17 e 24 meses, ou seja, entre um ano e meio e dois anos de idade. Alguns foram até considerados prejudiciais. Foi comprovado que, a cada hora que a criança não passa assistindo a DVD e vídeos no computador aprende entre seis a oito palavras a mais comparada àquela assiste. Isso acontece porque o cérebro aprende fazendo coisas, não vendo. O ideal nesse caso é fazer uma regra de dois terços. Por exemplo, se você quer memorizar uma passagem, é melhor gastar 30 por cento do seu tempo lendo-a, e os 70 por cento restantes testando seus conhecimentos.

 
7. A alimentação afeta o desempenho
Pesquisas mostraram que uma dieta rica em fibras, com alimentos fáceis de digerir e carboidratos saudáveis como aveia é a melhor opção para os pequenos. Além disso, o que você come uma semana antes também conta! Em um estudos, 16 estudantes de Ensino Médio realizaram um testo de atenção e velocidade de pensamento. Depois, foram submetidos a uma dieta com carnes, ovos e queijos. Ao realizaram o teste novamente, o desempenho caiu. Além disso, cafeína e glucose são beneficiais ao desempenho cognitivo, pois os jovens ficaram mais atentos ao consumirem essa combinação.
 
8. Crianças felizes se tornam adultos confiantes e bem-sucedidos

Pessoas felizes têm melhor desempenho no trabalho e bons relacionamentos. Pesquisas mostraram que elas têm melhores trabalhos e salários, além de casamentos estáveis, adeptas a construir famílias bem estruturadas. Por isso, preste atenção nas crianças, pois elas devem estar felizes, em um ambiente familiar saudável e com amor.

 
9. A companhia afeta o desempenho

Um estudo conduzido pela Faculdade de Darthmouth, nos Estados Unidos, mostrou que, em um grupo de número par de crianças, as atitudes e comportamentos de uma influenciava a outra. Crianças com baixo desempenho escolar tiveram melhorias significativas ao conviverem com aquelas que sempre tiveram bom desempenho.

 
10. Acredite nelas

Em 1968, os renomados psicólogos americanos Robert Rosenthal e Lenore Jacobson conduziram  um estudo com estudo com estudantes de Ensino Fundamental. Em uma sala de aula, foi dito a eles que alguns dos estudantes, escolhidos aleatoriamente, tinham se destacado no desempenho acadêmico. No fim do ano escolar, 30 por cento desses estudantes aumentaram seu número de QI de 10 pontos para 22 pontos. Por isso, acreditar e incentivar as crianças é essencial.

 
Fonte: time.com

 

Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer: