header print

Problemas Cardíacos Diferem Entre Homens e Mulheres

 A insuficiência cardíaca é uma das principais causas de incapacidade e morte tanto em homens como em mulheres. Ao longo das últimas décadas, diversos recursos foram dedicados a entender o que a causa, a desenvolver melhores tratamentos para esse problema e avanços significativos foram feitos.
 
 
O que toda mulher deve saber sobre problemas de coração

Uma coisa que descobrimos é que muitos aspectos da insuficiência cardíaca diferem entre homens e mulheres. Para ambos os sexos, a insuficiência cardíaca surge como resultado de doença arterial coronária, ou hipertensão crônica (pressão arterial elevada). Normalmente, os sintomas da insuficiência cardíaca, e o seu tratamento, são semelhantes em homens e mulheres, mas existem algumas diferenças.

Existem alguns aspectos da insuficiência cardíaca que dizem respeito especialmente às mulheres. Estes incluem a idade das mulheres que desenvolvem este problema, os sintomas causados, e como os médicos tratam a insuficiência cardíaca em mulheres.

Causas de insuficiência cardíaca que são especialmente importantes em mulheres

Hipertensão
Os problemas médicos mais comuns que levam à insuficiência cardíaca são hipertensão e doença arterial coronariana (DAC). Destes, a hipertensão é a principal causa em ambos os sexos. No entanto, ela é substancialmente mais provável de causar insuficiência cardíaca no público feminino do que no masculino. A hipertensão aumenta o risco de desenvolver problemas no coração 300% nas mulheres, mas "apenas" em 200% nos homens. Entre as mulheres com insuficiência cardíaca, a hipertensão é a causa subjacente em 59% dos casos, em comparação com 39% nos homens. Portanto, é importante para qualquer pessoa com este problema ter um tratamento adequado.

Insuficiência Cardíaca Diastólica
Na insuficiência cardíaca diastólica, a função cardíaca se deteriora porque o músculo fica rígido e o coração tem dificuldade para se encher de sangue. Como resultado, a quantidade de sangue que é bombeada ao redor do corpo a cada batimento é significativamente reduzida (tornando-o cansado), e o sangue é incapaz de encher o coração e levar até os pulmões (produzindo congestão pulmonar). Embora esta condição possa ocorrer com qualquer pessoa, é mais proeminente em mulheres do que homens.

Diabetes
Diabetes por si só não causa insuficiência cardíaca, mas as pessoas com a doença têm uma alta incidência de condições que o fazem, como doença arterial coronariana e hipertensão. Além disso, por razões que não são compreendidas, as mulheres com diabetes são duas vezes mais propensas a desenvolver insuficiência cardíaca do que os homens com a mesma doença.

 
Obesidade
O que toda mulher deve saber sobre problemas de coração

Mulheres que são obesas têm um alto risco de desenvolver insuficiência cardíaca que é 50% maior do que as mulheres que têm o peso normal. Homens obesos também têm um maior risco de insuficiência cardíaca, mas o excesso de risco de obesidade não é tão alto quanto nas pessoas do sexo feminino.

Quimioterapia
Certos medicamentos usados na quimioterapia podem causar toxicidade no coração e pode consequentemente levar à insuficiência cardíaca. As mulheres tendem a ser expostas a esses agentes de quimioterapia muito mais frequentemente do que os homens, e, em particular, no tratamento do câncer de mama.

Cardiomiopatia de estresse
Também conhecida como "síndrome do coração partido", é uma forma de grave insuficiência cardíaca que é desencadeada por trauma emocional extremo. Embora esta condição pode ser encontrada em ambos os sexos, é muito mais comum em mulheres, e pode estar relacionada com angina microvascular - uma condição que é mais comum em pacientes do sexo feminino.

Idade das mulheres e insuficiência cardíaca
As mulheres que desenvolvem insuficiência cardíaca costumam tê-la em uma idade mais avançada do que os homens. Infelizmente, como ensaios clínicos anteriores tendem a excluir as pessoas com mais de 65 anos, isso significa que relativamente pouco dados foram recolhidos a partir dessas pesquisas. Como resultado, não se tem dados suficientes de como as mulheres idosas com essa doença responderam ao tratamento. Recentemente, os pesquisadores têm incluído um número suficiente dessas pacientes com idade avançada em seus ensaios clínicos, e essa deficiência está lentamente sendo retificada.

Sintomas de insuficiência cardíaca em mulheres

Como mencionado anteriormente, os sintomas de insuficiência cardíaca em homens e mulheres são em grande parte os mesmos - gradualmente piora a fadiga, dispnéia, intolerância ao exercício e edema. No entanto, alguns estudos científicos sugerem que as mulheres com insuficiência cardíaca têm maior probabilidade de apresentar dispneia e edema significativos do que os homens.

Resposta ao tratamento em mulheres
O que toda mulher deve saber sobre problemas de coração

Como indicado, os ensaios clínicos que avaliam o tratamento da insuficiência cardíaca testaram consideravelmente mais homens do que mulheres. No entanto, os dados disponíveis sugerem fortemente que as mulheres com insuficiência cardíaca respondem ao tratamento de forma tão favorável quanto os homens.

Diferenças em como os corações de homens e de mulheres respondem ao estresse cardíaco

Em estudos com animais e em ensaios clínicos, as evidências estão sugerindo que os músculos cardíacos de homens e mulheres reagem de forma diferente a vários tipos de estresse fisiológicos. Vários estudos em animais analisaram como os corações de machos e fêmeas reagem a condições experimentais que foram projetadas para produzir insuficiência cardíaca. Estes estudos mostraram consistentemente que o músculo cardíaco feminino tende a responder fazendo várias adaptações que ajudam a prevenir a insuficiência cardíaca, enquanto o masculino falha mais rapidamente.

Ensaios clínicos em pessoas têm mostrado a mesma coisa. Naquelas com estenose aórtica (um estreitamento da válvula aórtica, que aumenta muito a pressão e o estresse no ventrículo esquerdo), as mulheres na pré-menopausa desenvolvem hipertrofia cardíaca (espessamento do músculo cardíaco) mais facilmente do que os homens. Esta hipertrofia reduz o estresse da parede, atrasa o início da cardiomiopatia dilatada e, assim, reduz o risco de insuficiência cardíaca. Curiosamente, as mulheres pós-menopáusicas não mostram essa mesma adaptação e desenvolvem insuficiência cardíaca na mesma proporção que os homens, sugerindo que os hormônios femininos podem desempenhar um papel nesta doença. No entanto, os ensaios clínicos que avaliam este fato têm dado resultados contraditórios.

Esses achados podem ajudar a explicar por que as mulheres desenvolvem insuficiência cardíaca mais tarde do que os homens, e por que as mulheres que têm insuficiência cardíaca tendem a ter mais freqüência de insuficiência cardíaca diastólica do que os homens.

Ainda assim, dito isto, tudo o que podemos dizer com confiança neste momento é que o coração dos homens e mulheres respondem de forma um pouco diferente a vários tipos de estresse fisiológicos.

Resultado da Insuficiência Cardíaca em Mulheres
O que toda mulher deve saber sobre problemas de coração

Evidências sugerem que, embora geralmente o público feminino que desenvolve insuficiência cardíaca em uma idade posterior do que os homens, tendem a sobreviver mais tempo do que eles.

Esta notícia é relativamente boa para as mulheres que têm insuficiência cardíaca, mas é contrabalançada por alguma evidência clínica que sugere que os médicos tendem a ser menos agressivo quando se trata mulheres com esse problema quando comparado ao público masculino. Uma razão para isso acontecer pode ser também que as mulheres tendem a minimizar seus sintomas cardíacos ao falar com seus médicos. 

Portanto, é muito importante para qualquer pessoa do sexo masculino ou feminino que tem sintomas de insuficiência cardíaca (especialmente agravamento da fadiga ou dispnéia), certificar-se de que seus médicos estão cientes disso.

 

Fonte: verywell
Imagens: depositphotos

 

Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer: