header print

Descoberta da Ciência Promete Ajudar Pacientes Com Degeneração Macular

 De acordo com um pequeno ensaio clínico preliminar, verificou-se que a injeção de um vírus nos olhos de pacientes com degeneração macular relacionada à idade (DMAE) pode interromper e reverter a progressão da doença.
Essa degeneração macular é uma das principais causas de cegueira nos Estados Unidos. Embora este novo achado trouxe esperança em retardar a doença, os resultados terão de ser replicados em um grupo muito maior de pacientes. Ainda assim, os primeiros sinais sugerem que uma única injeção do vírus especialmente projetado pode dar uma resposta ao sistema imune natural do corpo em ação, limpando o líquido que causa perda de visão permanente.

 

O estudo, conduzido por pesquisadores da Johns Hopkins Medicine em Maryland, estudou uma proteína chamada fator de crescimento endotelial vascular (VEGF), que é muito ativa em pessoas com degeneração macular (uma forma rara e mais grave da doença, que provoca o crescimento de novos vasos sanguíneos abaixo da retina e o vazamento de sangue e fluido no olho). Pesquisas mostram que a acumulação desse líquido causa danos permanentes às células da retina sensíveis à luz, levando-as a morrerem progressivamente,e deixando pontos cegos no centro da visão de uma pessoa.

Tratamentos para a degeneração macular existem, no entanto, eles envolvem processos dolorosos como receber injeções no olho uma vez a cada quatro semanas. Para manter os benefícios, você tem que manter essas injeções mensais para o resto de sua vida. Os efeitos colaterais dos medicamentos atuais disponíveis também incluem infecções oculares e um aumento do risco de acidente vascular cerebral.

 
Cientistas encontraram uma maneira de reverter a cegueira relacionada à idade! A equipe da John Hopkins demonstrou que, em muitos pacientes, poderia haver uma maneira de parar e, possivelmente reverter a progressão da doença com uma única injeção. Embora o estudo preliminar seja pequeno, os resultados são um passo promissor para uma nova abordagem que reduza as visitas dos médicos, bem como a ansiedade e o desconforto devido a injeções repetidas no olho.

A Fase 1 do ensaio clínico envolveu 19 homens e mulheres, com idade superior a 50 anos, com essa doença em estágio avançado. Os homens e mulheres foram divididos em cinco grupos que receberam doses crescentes de um vetor viral chamado AAV2 - um vírus comum semelhante ao que foi geneticamente modificado para penetrar nas células retinianas dos pacientes e depositar um gene que induz a produção de uma proteína chamada SFLT01. Uma vez que o vírus tenha depositado o gene, as células começaram a segregar sFLT01 que se ligou a proteína VEGF e o impediu de estimular a fuga e crescimento de vasos sanguíneos anormais. O objetivo é que as células da retina infectadas pelo vírus reproduzam a proteína FLT01 suficiente para parar permanentemente a progressão da degeneração macular.

A pesquisa anterior mostrou que a proteína sFLT01 pode inactivar a outra proteína VEGF. No entanto, até agora, os cientistas estavam lutando para deixar o corpo produzir por conta própria, mas, eles tiveram que injetar regularmente proteínas VEGF de supressão para mantê-lo sob controle.

 
Cientistas encontraram uma maneira de reverter a cegueira relacionada à idade!
No estudo clínico, os três primeiros grupos receberam as doses mais baixas do vírus AAV2 e, após não apresentarem efeitos secundários negativos, os dois grupos finais receberam a dose máxima. Foi relatado que nenhum dos efeitos colaterais graves foram verificados em nenhum dos grupos.
Além disso, foi dito que, mesmo na dose mais elevada, o tratamento foi bastante seguro e não foram observadas reações adversas nos doentes.

Os participantes foram selecionados com base na sua falta de resposta a todas as outras opções de tratamento padrão - oito das quais eram pouco susceptíveis de responder, mesmo para o seu novo tratamento. Dos 11 restantes, quatro apresentaram melhorias dramáticas após uma única injeção. Foi relatado que a quantidade de líquido em seus olhos reduziram de grave para quase nada. Outros dois pacientes relataram uma redução parcial na quantidade de fluido em seus olhos. Enquanto os outros cinco não tiveram a mesma sorte. Eles não tiveram nenhuma melhora na visão após a injeção. No entanto, os pesquisadores perceberam que os corpos desses pacientes em específico, produziram naturalmente anticorpos que atacam o vírus AAV2.

Infelizmente, ainda vai precisar de mais tempo para outro ensaio clínico muito maior tentar descobrir se existe uma chance de sucesso neste estudo, e como outro grupo maiores de pessoas reagiria ao tratamento. No entanto, o desenvolvimento parece promissor, especialmente porque há uma necessidade de descobrir uma cura ou melhora, já que essa doença pode afetar 5,44 milhões de americanos em 2050. Nesse caso, o tratamento que funciona para apenas metade dos pacientes, poderia ainda mudar centenas de milhares de vidas.

Fonte imagem 2:

Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer: