header print

Sintomas de Estresse Nas Mulheres e Como Tratar

O Editor: Laura Dias

 Certamente é terrível estar estressado, mas os efeitos dessa terrível doença no corpo são muito mais do que desagradáveis. Os efeitos fisiológicos do estresse sobre o corpo humano vão desde queda de cabelo a problemas graves de saúde, como hipertensão e depressão, e não é de admirar que tanto psicólogos quanto médicos o levem tão a sério.

Mas você provavelmente já sabia de tudo isso. O que você pode não saber, no entanto, é que o estresse se manifesta de forma diferente em homens e mulheres. Neste artigo, vamos nos concentrar nos sintomas do estresse em mulheres, e então discutiremos como tratá-lo sem ir à terapia ou tomar antidepressivos.
 
Como o estresse é diferente nas mulheres?

Sabemos que o estresse é a reação do nosso corpo ao perigo, tanto imediato quanto crônico. Um estudo de 2000 revelou que mulheres e homens podem ter reação e sensibilidade diferentes ao estresse.

Enquanto os homens costumam reagir ao estresse pela reação de “lutar ou fugir”, as mulheres tendem a fazer o oposto: em vez de fugir da situação perigosa, elas reagem formando vínculos com outras pessoas, o que é chamado de “ resposta amistosa tendenciosa”.

Sugere-se que essa diferença de sexos seja um desenvolvimento evolucionário, já que em tempos passados as mulheres eram as principais cuidadoras e tinham que sustentar seus filhos primeiro, enquanto os homens eram os caçadores que geralmente precisavam reagir rapidamente em uma situação perigosa.

Quer essa teoria seja verdadeira ou não, sabemos que, em média, as mulheres são mais estressadas do que os homens, o que sugere que elas são mais suscetíveis aos efeitos adversos do estresse.

Estes efeitos adversos são fisiológicos e mentais e podem ser categorizados de 7 formas:

 
1. Problemas do estômago
reação ao estresse

Muitas mulheres relatam que ou perdem o apetite ou começam a comer mais (geralmente não saudáveis e fáceis de consumir ) quando estão estressadas. Isso também pode mudar: uma situação pode perturbar seu estômago, enquanto outra pode fazer com que você coma mais.

Independentemente das mudanças na dieta, os problemas de estômago mais comuns causados pelo estresse são:

  • Cólicas
  • Inchaço
  • Azia
  • Mudanças no peso

Um estudo de 2017 no periódico científico Frontiers in System Neuroscience chegou a sugerir que o estresse pode causar a síndrome do intestino irritável (SII).

2. Problemas cardíacos

O estresse crônico aumenta a quantidade de adrenalina e cortisol no sangue, ambos hormônios associados à hipertensão. Isso pode ter um efeito negativo sobre o sistema cardiovascular e pode contribuir para o derrame e o ataque cardíaco.

Além disso, alguns estudos associam o estresse a mudanças na coagulação do sangue, o que também aumenta o risco de um ataque cardíaco.

3. Reações cutâneas

Sua pele, cabelo e unhas são especialmente sensíveis ao estresse. Isto é provavelmente por causa das mudanças hormonais devido ao estresse, e toda mulher que já teve um problema hormonal sabe muito bem o que os hormônios podem fazer com a pele. As reações cutâneas mais comuns incluem:

  • Acne
  • Psoríase
  • Urticária ou erupção cutânea
  • Unhas quebradiças

Felizmente, os sintomas dessas condições tendem a diminuir quando o período estressante termina, mas leve em consideração que você terá que cuidar melhor da sua pele e usar produtos de cuidados especiais com a pele sensível e não irritantes quando souber que está estressado. 

reação ao estresse

4. Perturbação do sono

Níveis consistentemente altos de cortisol no sangue, característica marcante do estresse crônico, afetam o chamado eixo hipotálamo-pituitária-adrenal (HPA), que é uma relação entre o hipotálamo, a glândula pituitária e a glândula adrenal.

Infelizmente, isso afeta nossos ciclos de sono, portanto, quando você está estressado e o circuito HPA está muito ativo, você geralmente se sente cansado, mas incapaz de adormecer. Além disso, até mesmo a qualidade do sono diminui à medida que a transição entre os vários ciclos do sono é interrompida.

5. Distúrbios emocionais

O estresse crônico pode causar uma variedade de distúrbios emocionais e até doenças mentais:

  • Ansiedade
  • Depressão
  • Irritabilidade
  • Mudanças de humor
  • Comportamento compulsivo (como vício).

Por mais alarmante que possa parecer, existe até um estudo que mostrou que níveis mais altos de raiva estão comumente ligados ao estresse mental e até mesmo à probabilidade de um ataque cardíaco relacionado ao estresse.

reação ao estresse

6. Dificuldade em se concentrar e problemas de memória

Os pesquisadores descobriram que certos hormônios secretados após um evento estressante podem prejudicar a memória e a concentração. Além disso, um estudo em animais descobriu que ratos estressados tinham mais problemas de memória do que o grupo de controle não estressado.

O mesmo é pode ocorrer em humanos, já que muitos pacientes relatam que eles têm dificuldades em focar ou lembrar informações importantes quando estão estressados.

7. Baixa imunidade 

A Associação Americana de Psicologia sugere que eventos estressantes e experiências emocionais negativas podem prejudicar seu sistema imunológico, o que pode torná-lo mais suscetível a um resfriado, mas também a qualquer outra doença infecciosa.

Eles concluem que gerenciar o estresse é crucial para que você recupere sua capacidade de combater os germes. A próxima seção é exatamente sobre isso, a mudança de estilo de vida mais básica que você pode fazer para ser menos estressado.

reação ao estresse

Como lidar com o estresse

Terapia e medicamentos certamente podem levar você a um período estressante em sua vida, mas as seguintes mudanças no estilo de vida também podem melhorar significativamente seus sintomas de estresse:

1. Melhore sua dieta

Quando você está estressado e não tem tempo para fazer nada, é mais provável que você escolha um lanche ou um fast food em vez de uma refeição saudável e nutritiva.

Você tem que resistir a esse desejo e tentar melhorar sua dieta, incluir mais verduras e vegetais coloridos em sua dieta, já que nos últimos anos há cada vez mais evidências científicas sugerindo que uma dieta saudável pode ajudar a combater a ansiedade e a depressão, e, certamente, o estresse.

reação ao estresse

2. Reserve tempo para o exercício

Quando você se exercita e passa mais tempo ao ar livre, seu cérebro libera substâncias químicas associadas à felicidade e ao bem-estar, como a oxitocina neuroquímica, cujos níveis caem dramaticamente durante períodos estressantes da sua vida.

Então, é possível melhorar seu humor enquanto estiver praticando atividade física, o que via normalizar seus níveis de ocitocina.

3. Encontre maneiras divertidas de relaxar

As mulheres muitas vezes procuram conexão e significado na vida quando se sentem estressadas, e o que o seu instinto lhe diz é exatamente o que você deve fazer, neste caso.

Distrair-se fazendo atividades que exigem muita concentração é outro método eficaz de combater o estresse, conforme relatado na revista Frontiers in Psychiatry, em 2017.

Portanto, encontre ou redescubra um passatempo, participe de conversas com familiares e amigos e faça algo significativo.

reação ao estresse

4. Abraços

Vamos encerrar nossa lista com uma recomendação feliz e uma dica não trivial. Acontece que abraços, especialmente longos abraços com duração de até 20 segundos, podem ter o mesmo efeito em seu cérebro do que uma corrida matinal, como relatado em um estudo de 2018. Como o exercício, os abraços aumentam os níveis de oxitocina no sangue, o que pode ser suficiente para compensar esse dia estressante no trabalho.

Neste artigo específico, mencionamos apenas alguns tratamentos selecionados de estresse. Temos um artigo com técnicas para tratar a ansiedade, que é altamente recomendável para ler também.

 

Conteúdo: everydayhealth  

Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Clique aqui "Registre-se", para concordar com os Termos e a Política de Privacidade
Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Clique aqui "Registre-se", para concordar com os Termos e a Política de Privacidade