header print

Fatos fascinantes sobre sonhos que você talvez desconheça

O Editor: Anna D.

  Apesar de terem sido estudados e explorado por muitos anos, os sonhos continuam sendo uma das experiências mais misteriosas de nossas vidas. Os sonhos são, em essência, uma sucessão de sensações, emoções, ideias e imagens que ocorrem involuntariamente na mente de uma pessoa enquanto ela dorme. Eles são conhecidos por ocorrerem principalmente (mas não exclusivamente) em um estágio do sono denominado movimento rápido dos olhos (REM, em inglês: Rapid Eye Movement), que é mais parecido com estar acordado, pois, durante esse estágio, a atividade cerebral é alta.

7 fatos sobre a psicologia dos sonhos

Os sonhos têm significado? Esta questão ocupa os humanos há séculos. Sigmund Freud, o pai da psicanálise, acreditava que os sonhos são uma manifestação de nossas ansiedades e desejos mais profundos, muitas vezes relacionados a obsessões ou memórias reprimidas da infância. Ficou tão fascinado com o assunto que publicou um livro intitulado Interpretação dos Sonhos em 1899, no qual elaborou uma série de orientações para nos ajudar a compreender os motivos e símbolos que aparecem em nossos sonhos.

Embora a teoria freudiana dos sonhos a respeito do significado dos sonhos seja popular, certamente não é a única que existe. As opiniões mudam de acordo com as culturas e os tempos e, embora não seja realmente um assunto científico, muitos estudos concretos revelaram fatos fascinantes sobre os sonhos. Aqui estão 7 fatos psicológicos surpreendentes.

1. Homens e mulheres têm sonhos diferentes

7 fatos sobre a psicologia dos sonhos

Curiosamente, a pesquisa mostrou que existem diferenças claras entre os sonhos de homens e mulheres. Um estudo de 2008 mostrou que os sonhos dos homens tendem a ter conteúdo mais agressivo e atividade física, enquanto os sonhos das mulheres contêm mais rejeição e exclusão, bem como mais conversa do que atividade física. As mulheres também tiveram sonhos um pouco mais longos, com mais personagens. Quando se trata dos personagens que tendem a aparecer nos sonhos, 67% dos personagens nos sonhos dos homens são outros homens, enquanto 48% dos personagens nos sonhos das mulheres são outras mulheres.

As razões para isso podem variar. Alguns psicólogos presumem que é porque homens e mulheres se socializam de maneira diferente à medida que envelhecem. Mas há muitas vozes que afirmam que as evidências mostram que os meninos não precisam ser ensinados a ser agressivos e as meninas não precisam ser ensinadas a ser sociáveis. A biologia de meninos e meninas os impulsiona ao longo desses tipos de trajetórias de desenvolvimento. Embora as trajetórias não sejam inevitáveis ​​ou determinísticas, elas são tendências reais.

2. Os sonhos nos ajudam ativamente a resolver problemas

7 fatos sobre a psicologia dos sonhos

Quando você está estudando para uma prova ou lidando com algo difícil, já ouviu o conselho de "ir consultar o travesseiro"? É uma crença comum que as coisas farão mais sentido em sua mente depois de uma boa noite de sono, e acontece que essa crença está enraizada na realidade.

Na tentativa de responder à sempre presente questão de por que sonhamos, a psicóloga de Harvard Deidre Barrett desenvolveu uma teoria peculiar. Ela descobriu que nossas horas de sono podem nos ajudar a resolver quebra-cabeças que nos atormentam durante o dia. Os aspectos visuais e muitas vezes ilógicos dos sonhos os tornam perfeitos para o pensamento inovador necessário para resolver alguns problemas. "Qualquer que seja o estado em que nos encontremos, ainda estamos trabalhando nos mesmos problemas", disse ele. Ele acrescentou que, embora os sonhos provavelmente tenham evoluído originalmente para finalidades diferentes, com o tempo, eles foram sofisticando-se de uma forma que ajuda o cérebro a se reinicializar e resolver problemas.

3. Sonhos violentos podem ser um sinal de alerta

7 fatos sobre a psicologia dos sonhos

 

Um estudo sugere que um distúrbio raro no qual as pessoas realizam seus sonhos, geralmente com golpes, chutes e gritos violentos, é um indicador precoce de distúrbios cerebrais futuros, como Parkinson e demência. Os pesquisadores revisaram os prontuários médicos para identificar casos relatados desse chamado distúrbio REM entre 2006 e 2009. Eles encontraram 27 pacientes que desenvolveram o distúrbio do sono pelo menos 15 anos antes de apresentarem sintomas de doenças neurodegenerativas.

O principal sintoma do distúrbio do sono REM é, conforme mencionado, o comportamento de encenação de sonhos, que pode chegar ao ponto em que a pessoa machuca a si mesma ou a seus parceiros de cama. Quando a pessoa acorda, ela pode se lembrar vividamente do conteúdo violento do sonho correspondente ao chute ou soco.

4. Todos os rostos em nossos sonhos foram vistos por nós

7 fatos sobre a psicologia dos sonhos

Os especialistas insistem que nosso cérebro é incapaz de inventar novos rostos em nossos sonhos. Isso significa que qualquer rosto que você vê em seus sonhos é aquele que você já viu em algum lugar antes. No entanto, isso não significa que esses personagens oníricos sejam necessariamente pessoas que você conhece bem ou sabem quem são. Cada pessoa encontra constantemente rostos que o cérebro não registra como importantes. Portanto, "extras", como um âncora de um noticiário de televisão ou um estranho no trem, podem aparecer em sonhos posteriores, mesmo que você não se lembre de tê-los visto.

A maioria dos protagonistas de nossos sonhos geralmente são pessoas que conhecemos muito bem. Às vezes, o cérebro pode criar um estranho híbrido de familiar e desconhecido. Por exemplo, você pode interagir com um amigo próximo em um sonho, mas ao acordar pode perceber que ele foi "interpretado" por uma pessoa com um rosto diferente.

5. Os animais também sonham

7 fatos sobre a psicologia dos sonhos

De acordo com vários estudos, quando os animais estão no sono REM, eles exibem as mesmas ondas cerebrais que exibimos quando sonhamos. Em um estudo, por exemplo, publicado na revista Neuron, os cientistas compararam os padrões cerebrais de ratos correndo por um labirinto com seus padrões cerebrais durante o sono REM subsequente. O estudo descobriu que os padrões cerebrais eram tão semelhantes que eles podiam dizer com qual parte do labirinto os ratos estavam "sonhando".

"O estudo se encaixa na ideia de que os espaços físicos, como o labirinto, são codificados na memória de longo prazo durante o sono REM", disse Patrick McNamara, diretor do Laboratório de Neurocomportamento Evolutivo da Universidade de Boston, em um comunicado à National Geographic. Outros estudos incluíram chimpanzés, golfinhos, cães e gatos. É justo presumir que a maioria dos mamíferos (pelo menos) tem sonhos.

6. É possível controlar sonhos

7 fatos sobre a psicologia dos sonhos

O sonho lúcido é um estado no qual a pessoa está ciente do fato de que está sonhando enquanto ainda dorme. É considerada uma combinação de consciência e REM, que permite ao sonhador controlar e direcionar o conteúdo do sonho.

De acordo com uma pesquisa interessante de Jayne Gackenbach, psicóloga da Grant MacEwan University no Canadá, as pessoas que jogam videogame têm mais probabilidade do que os não jogadores de ter sonhos lúcidos nos quais se vêem fora de seus próprios corpos. Eles também foram capazes de influenciar melhor seus mundos de sonho, como se controlassem um personagem de videogame. "Os jogadores estão acostumados a controlar seus ambientes de jogo, então isso pode ser traduzido em sonhos", diz Dr. Gackenbach.

7. Notívagos têm mais pesadelos.

7 fatos sobre a psicologia dos sonhos

Ficar acordado até tarde tem suas vantagens, mas também algumas desvantagens. Uma delas, aparentemente, é a probabilidade maior de ter pesadelos. Pesquisa publicada em 2011 na revista Sleep and Biological Rhythms revelou que as pessoas notívagas são mais propensas do que suas contrapartes madrugadoras a ter pesadelos. No estudo, 264 estudantes universitários foram solicitados a classificar a frequência com que tinham pesadelos em uma escala de 0 a 4 (0 significa "nunca" enquanto 4 significa "sempre"). Os participantes que tendem a ficar acordados até tarde pontuaram 2,10, enquanto os madrugadores tiveram uma média de 1,23.

Essa é uma diferença significativa, segundo os pesquisadores, porém eles não tinham certeza de qual seria a causa. Entre suas especulações está o cortisol, o hormônio do estresse, que atinge seu pico pela manhã pouco antes de acordarmos, um horário em que as pessoas têm maior probabilidade de estar em REM ou dormindo. Se você ainda está dormindo, o cortisol aumentado pode desencadear sonhos ou pesadelos vívidos.

Gostou deste artigo? Que tal compartilhar com outras pessoas?

Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Clique aqui "Registre-se", para concordar com os Termos e a Política de Privacidade
Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Clique aqui "Registre-se", para concordar com os Termos e a Política de Privacidade