header print

Complexo da Culpa: Saiba Se Você Sofre Deste Mal

Todo mundo se sente culpa de vez em quando, em ocasiões em que fizemos algo errado e que tenha magoado alguém, por exemplo. O ser humano, desde crianças a idosos, passam por momentos de culpa, o que é normal e importante, pois faz parte da evolução da nossa personalidade. Passar por esse sentimento faz com que nos tornemos mais fortes e, dessa forma, podemos eliminar a negatividade.

No entanto, mesmo que a culpa faça parte de nossas vidas em alguns momentos, ela pode tomar conta de nossas vidas, o que é preocupante. Assim como outras emoções que podem sair do controle (como raiva, tristeza, medo e ciúme), a culpa pode paralisar a vida de alguém. Quando a pessoa menos percebe, já está completamente afundada neste sentimento ruim, o que é chamado por alguns psicólogos de complexo de culpa. Por isso, vamos explicar do que se trata, quais os sintomas e qual a melhor forma de se livrar deste sentimento.

 

Afinal, o que é um complexo de culpa?

Trata-se de um transtorno obsessivo no qual a pessoa sente-se que fez e faz tudo errado. É considerada uma emoção negativa que surge, por exemplo, quando você se arrepende de algo que não devia ter feito. Ao invés de esquecer e seguir em frente, a pessoa alimenta aquele sentimento e começa a associar com outros fatos, seja do passado ou presente. E mesmo que a pessoa não esteja fazendo nada errado, vai se sentir culpada da mesma forma, reclamando de si e torturando a si mesma.

 

O que pode causar este complexo?

1. Saber que fez algo errado e se apegar a isso

Em algum momento da sua vida, você violou o seu código de ética ao chantagear alguém, ou contar mentiras para se beneficiar em alguma situação. Ou magoou alguém com suas palavras e ações. O tempo passou, outras situações aconteceram, e essa pessoa talvez tenha sumido da sua vida. É aí que surge a culpa. Pode também surgir rapidamente, após você ter feito algo errado no mesmo dia ou na mesma semana. Deitar na cama antes de dormir e dizer: "Por que eu fiz isso?"

Por um lado, é importante sentir remorso, pois isso significa que você não quer fazer isso novamente. Porém, se esse sentimento persistir, é preciso tomar cuidado para não tomar conta da sua mente.

 

2. Pensar que fez algo errado

Acredite ou não, se você acha que fez algo errado, seja no passado ou presente, e sentir-se culpado por um fato que nem sabe se agiu ou não erroneamente, pode causar-lhe um problema.

Cuidado: isso pode ser uma armadilha da sua mente. Em alguns casos você nem se lembra totalmente do que aconteceu e já assume para si essa responsabilidade. Outro fato curioso que também pode ocorrer é quando alguma pessoa com que você discutiu ou teve problemas fica doente e então passa a sentir culpa pelo fato da doença dela. Mesmo que isso possa ser irracional dependendo da situação, você alimenta esse sentimento até estar completamente tomado pela culpa.

 

3. Cria situações em pensamento

Você pode não ter feito a chantagem, ou sequer mentiu para alguém, mas alimenta esse pensamento, cria essa situação na sua mente como se fosse real. Uma fantasia negativa. O resultado é culpa e remorso.

 

4. Pensa que devia ter ajudado alguém

Algum conhecido seu passou por um momento difícil, foi acometido por uma doença ou uma situação até mesmo trágica, e você não conseguiu ajudá-lo, ou até ajudou com o máximo que pode. E mesmo que tenha feito a sua parte, ainda sente culpa porque queria ter feito mais. Pode parecer estranho, mas algumas pessoas sofrem de um tipo de "fadiga de compaixão", principalmente quando trabalham em hospitais, salvamentos e centros de reabilitação. Eles querem ajudar o paciente além do tratamento, sabem que isso não é possível e sofrem por isso. Surge então uma culpa que pode consumir a pessoa.

 

5. Achar que a sua vida é melhor que a dos outros

Este é um tipo de culpa que acomete muitas pessoas que se sensibilizam com grandes desastres naturais, por exemplo, ou simplesmente põe em mente que sua vida é melhor e mais confortável que a de familiares e amigos. Este tipo de culpa pode ser muito perigosa e autodestrutiva. Em muitos casos, essas pessoas não estão em situações difíceis, mas o indivíduo alimenta a culpa.

 

Como acabar com a culpa

1. Tenha em mente que em alguns casos você pode estar se sentindo muito pior do que a pessoa que magoou. Por exemplo: durante uma discussão com um amigo, você disse coisas terríveis a ele e se sente muito mal e culpado por isso, e ele às vezes já deixou passar, enquanto você alimenta um sentimento negativo. Este pode ser um sintoma de complexo de culpa. Por isso, converse e peça desculpas.

 

2. Em alguns casos é preciso ser racional. Por exemplo: se acha que fez algo errado no passado, fique atento às suas memórias. Em muitos casos pode ser armadilhas da memória. Mas se o que você fez realmente foi errado e ainda se sente mal por isso, pense: é passado. Nada pior do que se apegar ao passado. Deixe ir, mantenha o foco no presente e seja feliz.

3. Se você está criando situações que sequer existiram, primeiro aceite esses pensamentos e sentimentos como parte do que você é hoje e então você pode mudá-los, caso contrário vão te perseguir por muito tempo. Ao aceitar esses pensamentos, fica mais fácil assimilá-los e deixá-los para trás. Caso necessário, procure um psicoterapeuta.

 

4. Se sente a "fadiga da compaixão", volte atrás e lembre exatamente do que aconteceu. E tenha em mente de que você fez o seu melhor e pode continuar fazendo, ajudando outras pessoas. E se não fizer isso consigo mesmo, pode adoecer, ficar deprimido e aí sim não poderá ajudar a ninguém. E caso isso aconteça, pense que ninguém vai te julgar por isso, pelo contrário: pode ter certeza que as pessoas vão te encorajar a sair dessa para que continue a ajudar os outros.

 
 
5. Se sente culpa ao comparar a sua vida com a de outras pessoas, diga a si mesmo: eu posso ajudar mas não posso fazer tudo pelos outros, principalmente quando eles não conseguem realizar seus sonhos, isso faz parte da vida. E ninguém vai deixar de te amar por isso, e nem querem que você fique triste ou se sentindo culpado. E sua infelicidade ou culpa não vai mudar os fatos, então aceite, siga em frente, pois todos querem você livre de sentimentos ruins.
 

A culpa pode ir além desses exemplos citados, mas lembre-se: pode ser muito destrutivo a ponto de desencadear outros problemas, como ansiedade e depressão. Por isso, tente interpretar qual tipo de culpa você sente e tente acabar com isso. Caso os problemas persistam, procure a ajuda de um especialista, como um bom psicólogo que pode ajudar-lhe a administrar todos esses sentimentos. Muitas vezes, estamos com a cabeça tão cheia que alimentamos situações que não exigem todo esse esforço. Fique bem por dentro e seja feliz!

 
Fonte: blog.udemy.com

 

Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer: