header print

5 Notícias Positivas e Otimistas de 2017

 Muitas vezes, parece que as únicas coisas relatadas são eventos deprimentes e terríveis. Estamos todos conscientes de más notícias, mas esta é uma agenda para a mídia ou um reflexo de nossas preferências por coisas ruins? De qualquer forma, há muitas boas notícias no mundo que irão ajudá-lo a iluminar o seu dia. Aqui estão cinco das coisas mais positivas que aconteceram em 2017.
 
1. Os cientistas encontraram uma forma de refazer partes da Grande Barreira de Corais
5 notícias positivas de 2017

A famosa Grande Barreira de Corais está sofrendo um processo de branqueamento de corais sem precedentes. No entanto, a resposta para sua recuperação parcial pode ser no próprio recife.

Existem duas intervenções potenciais que foram promovidas nos corais do recife: a evolução assistida e o fluxo de genes assistidos.

O que é a evolução assistida?
Esta é basicamente a seleção artificial nos esteroides – combina múltiplas abordagens que visam o coral hospedeiro e seus simbiontes microbianos essenciais. O objetivo é produzir um coral mais resistente sem o uso de engenharia genética.

Em primeiro lugar, a evolução dos simbiontes de algas, isoladamente do coral hospedeiro, foi rastreada rapidamente para resistir a níveis mais altos de estresse causado pelo calor. Quando os simbiontes são feitos para se reencontrar com o coral hospedeiro, os benefícios para a resistência ao branqueamento ainda são pequenos, mas mais cientistas do trabalho esperam ver uma simbiose mais firme.

Em segundo lugar, os experimentos criaram novos corais geneticamente diversos através da hibridização, e pesquisadores selecionaram estes para aumentar a resiliência climática. A hibridação natural raramente acontece no recife, então isso dá novas opções para que os corais que mudam o clima usando os estoques genéticos existentes.

 
2. O leopardo-das-neves sai da lista de espécies ameaçadas de extinção
5 notícias positivas de 2017

De acordo com uma organização internacional, pela primeira vez em 45 anos, os leopardos-das-neves não são mais uma espécie ameaçada de extinção. A União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) moveu a espécie para a categoria "vulnerável" - embora continue em risco devido à redução de presas e da caça furtiva.

Para ser considerada uma espécie em extinção, deve haver menos de 2.500 leopardos-das-neves adultos na natureza, mas agora acredita-se que seu número verdadeiro esteja entre 4 mil e 10 mil. O motivo dessa ampla estimativa é porque é extremamente difícil rastrear esses felinos em seus imensos habitats nos Himalaias.

3. O HIV/Aids já não é a principal causa de mortes na África
5 notícias positivas de 2017

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), menos pessoas estão morrendo de HIV/Aids na África. Agora, a principal causa de morte são infecções do trato respiratório, como bronquite ou pneumonia.

O HIV/Aids foi responsável por cerca de 760 mil mortes na África em 2015, o que representa uma queda significativa em relação ao 1 milhão de registros de óbitos em 2010. Essas descobertas foram confirmadas pela Africa Check, que descobriram que as doenças diarreicas tomaram o terceiro lugar, seguida por acidente vascular cerebral em segundo. A malária saiu do topo e foi substituída por doenças cardíacas.

4. Houve aumento na população de abelhas
5 notícias positivas de 2017

O mundo precisa de abelhas. O declínio da população de abelhas tem um efeito adverso na agricultura e no meio ambiente. Por exemplo, em um país como os Estados Unidos, uma em cada três mordidas de alimentos depende das abelhas. Sem elas, o futuro seria incerto, na melhor das hipóteses.

Há pouco mais de dez anos, os apicultores anunciaram declínios em suas populações de abelhas. Elas estavam saindo das colmeias e nunca voltaram. Esse fenômeno, agora conhecido como transtorno de colapso de colônias, é alarmante não só devido aos papéis centrais que as abelhas desempenham na vida, mas também porque ninguém sabia por que o declínio estava acontecendo ou como parar isso.

No entanto, os novos dados divulgados este ano deram algum motivo para otimismo. De acordo com esses dados, as populações de abelhas estão em alta. A partir de abril de 2017, estima-se que 2,89 milhões de colônias de abelhas existam nos Estados Unidos, um aumento de 3% em relação a abril de 2016.


5. Conservadores concordaram em plantar 73 milhões de árvores nos próximos seis anos na floresta amazônica
5 notícias positivas de 2017

Se tudo sair como o planejado, nos próximos seis anos, a Amazônia receberá 73 milhões de novas árvores. Este plantio em massa faz parte de um projeto patrocinado pela Conservação Internacional, o Ministério do Meio Ambiente e várias outras ONGs e corporações.

O projeto abrangerá terras de pastagem desmatadas em uma região de 74 mil hectares abrangendo vários estados do Brasil. O maior foco será em regiões no sul do Amazonas, Rondônia, Acre, Pará e no Parque Indígena do Xingu. O objetivo deste projeto é, em parte, reviver os 20% da Amazônia perdidos devido ao desmatamento nas últimas quatro décadas, além de restaurar florestas tropicais.

Os esforços de reflorestamento são muitas vezes muito onerosos e demorados – exige o plantio e a manutenção de milhares de mudas, muitas das quais podem não sobreviver. No entanto, para este projeto, as pessoas envolvidas vão usar um novo método chamado muvuca, no qual vão espalhar as sementes de árvores nativas pela barragem, terras queimadas e pastos de animais. 

Com técnicas de restauração planta por planta, são cerca de 160 plantas por hectare. No entanto, com a muvuca, o resultado inicial é de 2.500 árvores por hectare e, após dez anos, você pode chegar a 5 mil árvores por hectare. É muito mais diversificado, mais denso e menos dispendioso do que as técnicas tradicionais.

Fonte: acidcow | Imagens: depositphotos

Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer: