header print

6 Pequenas Estórias de Inspiração

 As pequenas histórias e estórias de inspiração me encantam, pois são fáceis de acompanhar e ler, e sempre têm uma moral para aprender no final. Sejam elas verdadeiras ou não, lendas de centenas de anos atrás ou algo real, sempre tenho algo a repensar.  Confira agora 6 curtas estórias inspiradoras que te farão pensar...
 
1. O grupo de sapos
espiritualidade

Um grupo de sapos estava viajando pela floresta, quando dois deles caíram em um poço profundo. Quando os outros sapos viram o quão profundo era o poço, eles disseram aos dois sapos que não havia mais esperança para eles.

No entanto, os dois sapos ignoraram seus camaradas e tentaram saltar do poço. Mesmo assim, apesar de seus esforços, o grupo de sapos no topo do poço ainda dizia que eles deveriam simplesmente desistir, pois nunca o conseguiriam.

Eventualmente, um dos sapos prestou atenção ao que os outros estavam dizendo e desistiu, saltando ainda mais para sua morte. O outro sapo, entretanto, continuou a pular o mais alto que podia. Mais uma vez, o grupo de sapos gritou para ele evitar a dor da tentativa e desistir.

Ele os ignorou e saltou ainda mais e finalmente conseguiu sair. Quando ele saiu, os outros sapos disseram: "Você não nos ouviu?"

O sapo explicou-lhes que era surdo, e que achava que o estavam encorajando o tempo todo.

Moral da história: As palavras das pessoas podem ter um enorme efeito sobre a vida dos outros. Portanto, pense bem antes de liberar palavras da sua boca – pois pode ser a diferença entre a vida e a morte.


 

2. Meio quilo de manteiga
espiritualidade

Havia um fazendeiro que vendia manteiga regularmente para um padeiro. Um dia, o padeiro decidiu pesar a manteiga para ver se ele estava recebendo o montante exato que ele pedia. Ele descobriu que não estava, então ele levou o fazendeiro ao tribunal.

O juiz perguntou ao agricultor se ele usava alguma medida para pesar a manteiga. O fazendeiro respondeu: "É verdade, sou primitivo. Não tenho uma medida adequada, mas eu tenho uma escala".

O juiz respondeu: "Então como você pesa a manteiga?"

O fazendeiro respondeu: "Meritíssimo, muito antes de o padeiro começar a comprar manteiga comigo, eu já comprava pão com ele. Todos os dias, quando o padeiro traz o pão, coloco-o na balança e dou-lhe o mesmo peso na manteiga. Se alguém é culpado aqui, é o padeiro".

Moral da história: Na vida, você colhe somente aquilo que planta. Não tente enganar os outros.

3. O obstáculo no caminho
espiritualidade

Nos tempos antigos, um rei fazia com que seus homens colocassem uma rocha em uma estrada. Ele então se escondeu nos arbustos e observou para ver se alguém iria mover a rocha para fora do caminho. Alguns dos mais ricos comerciantes e cortesãos passaram e simplesmente desviaram da pedra.

Muitas pessoas culparam o rei por não terem mantido as estradas livres, mas nenhum deles fez nada para remover a pedra.

Um dia, um camponês vinha carregando vegetais. Ao aproximar-se da rocha, o camponês colocou seu fardo de lado e tentou remover a pedra do caminho. Depois de empurrar e esforçar-se, ele finalmente conseguiu.

Depois que o camponês voltou para pegar seus legumes, ele notou uma bolsa debaixo de onde a pedra tinha sido posta. A bolsa continha muitas moedas de ouro e uma mensagem do rei, que explicava que o ouro era para a pessoa que havia tirado a rocha da estrada.

Moral da história: Todo obstáculo que encontramos é uma oportunidade para melhorar nossas circunstâncias, e enquanto os preguiçosos se queixam, outros criam oportunidades através de seus corações, generosidade e vontade de fazer tudo.

 
4. A borboleta
espiritualidade

Era uma vez um homem que encontrou uma borboleta que estava começando a sair de seu casulo. Ele se sentou e observou a borboleta por horas, enquanto lutava para sair através de um pequeno buraco. Então, de repente, a borboleta parou de fazer força e parecia que estava presa.

Com isso, o homem decidiu ajudar a borboleta a sair. Ele pegou uma tesoura e cortou o pedaço restante do casulo. A borboleta então emergiu facilmente, embora tivesse o corpo inchado e pequenas asas murchas.

O homem se sentou lá esperando as asas se ampliarem para suportar a borboleta. No entanto, isso nunca aconteceu. A borboleta passou o resto de sua vida incapaz de voar, rastejando com pequenas asas e um corpo inchado.

Apesar do coração amável do homem, ele não entendia que o casulo restritivo e a luta que a borboleta precisava enfrentar para sair do pequeno buraco eram o modo que Deus tinha de forçar o fluido do corpo da borboleta em suas asas para que pudesse voar, uma vez que estivesse fora do casulo.

Moral da história: Nossas lutas nos ajudam a desenvolver nossos pontos fortes. Não há vitórias sem lutas, por isso é importante que enfrentemos desafios por conta própria e não depender da ajuda dos outros o tempo todo.

5. A moça cega
espiritualidade

Havia uma menina cega que se odiava todos os dias pelo fato de não poder enxergar. A única pessoa que ela amava era seu namorado, pois estava sempre com ela. Certa vez ela disse que se pudesse ver o mundo, então se casaria com ele.

Um dia, uma pessoa doou um par de olhos para ela - agora ela podia ver tudo, inclusive seu namorado. Seu namorado amoroso perguntou a ela, "agora que você pode ver o mundo, você se casará comigo?"

A mulher ficou chocada ao ver que seu namorado também estava cego e se recusou a casar com ele. Seu namorado se afastou em lágrimas e escreveu uma pequena nota para ela dizendo: "Cuide bem dos meus olhos, querida".

Moral da história: Quando as circunstâncias ao nosso redor mudam, também muda a nossa mente. Algumas pessoas podem não ser capazes de ver o que eram antes, e podem ser até mesmo ingratas.

6. A caixa dourada
espiritualidade

Algum tempo atrás, um homem puniu sua filha por desperdiçar um rolo de papel de presentes dourado. O dinheiro estava curto e ele ficou bravo quando a criança tentou decorar uma caixa para colocar sob a árvore de Natal.

No entanto, a menina trouxe o presente para o pai no dia de Natal e disse: "Isto é para você, papai".

O homem ficou envergonhado por sua reação exagerada alguns dias antes, mas sua raiva continuou quando viu que a caixa estava vazia. Ele gritou para ela, "Será que você não sabe que quando você dá a alguém um presente, precisa ter algo dentro?"

A menina olhou para o pai com lágrimas nos olhos e chorou; "Oh, papai, não está vazio. Soprei beijos na caixa. Eles são todos para você, papai".

O pai ficou devastado. Ele colocou seus braços em torno de sua filha, e implorou seu perdão.

Pouco tempo depois, a menina morreu em um acidente. Seu pai manteve a caixa dourada em sua cama por muitos anos e, sempre que ele se sentia mal, ele tiraria um beijo imaginário e lembrava o amor da criança que perdera.

Moral da história: Não é ouro nem prata. O amor é o presente mais precioso do mundo.

Fonte: wealthygorilla
Imagens: depositphotos 

Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer: