header print

Esses Mistérios Nos Intrigavam, Mas a Ciência os Resolveu

O Editor: Laura Dias

 Os humanos adoram inventar histórias inacreditavelmente intrigantes e misteriosas sobre fantasmas, monstros marinhos, objetos animados e invasões alienígenas. A lista continua, e devo admitir que adoro ler essas lendas e histórias assustadoras, de tempos em tempos.

No entanto, o que me excita ainda mais do que histórias assustadoras é quando eu aprendo como esses mistérios foram resolvidos. Entenda essas cinco histórias, a seguir, de mitos que se tornaram ciência como um bom romance policial, onde os cientistas são os de Sherlock Holmes e o mundo é o caso insolúvel.

 

1. Fogo-fátuo

O que eles são? Fogo-fátuo, também conhecido como fogo tolo ou, no interior do Brasil, fogo corredor ou João-galafoice, vêm no folclore, e são conhecidos por serem fantasmas ou maus espíritos vistos à noite sobre pântanos, pântanos e cemitérios na forma de uma luz bruxuleante.

De acordo com lendas de todos os cantos da Terra, Fogo-fátuo são criaturas sobrenaturais que visam enganar os viajantes, direcionando-os para a luz perto de uma armadilha.

Os humanos certamente têm uma tendência a mistificar as coisas que não entendem, e este caso apoia esta afirmação como nenhuma outra. Como é o caso de muitas lendas que se resumem a um fenómeno natural anteriormente inexplicável, os fogos-fátuos também podem ser explicados pela ciência.

Mistérios intrigantes

O que eles realmente são? De fato, trata-se da combustão espontânea causada pela exposição de alguns gases inflamáveis ao ar. Gases como o difosfato, um produto secundário comum da degradação da matéria orgânica pelas bactérias, podem explodir quando expostos ao oxigênio.

Em locais onde muita matéria orgânica é processada, como pântanos e cemitérios, esses gases estão presentes em altas concentrações e podem causar incêndios flutuantes e luzes bruxuleantes que desaparecem quando se queimam. Mistério resolvido.

2. Luzes do terremoto

O que eles são? Durante séculos, testemunhas de todo o mundo documentaram luzes estranhas aparecendo antes, durante e depois de grandes terremotos. Essas luzes podem se manifestar de maneira diferente: de luzes azuis piscando no horizonte até relâmpagos que saem do chão.

Eles podem aparecer semanas antes de um terremoto e podem ocorrer no raio de 160 quilômetros quadrados (aproximadamente 62 milhas quadradas) do epicentro da catástrofe. Até recentemente, ninguém sabia por que esses fenômenos ocorrem. O vídeo abaixo é um registro desse fenômeno feito por moradores no México.

O que eles realmente são? O mistério foi decifrado por uma equipe de pesquisadores de geólogos, que estudaram os 65 casos bem documentados de luzes do terremoto em 2014 e determinaram que certas rochas vulcânicas eram responsáveis pela anomalia.

Sob condições geológicas e climáticas muito específicas, uma carga elétrica é emitida dessas rochas como resultado de um aumento espontâneo da pressão do terremoto. Essa carga elétrica então se espalha pelo ar e ioniza-a. A luz é emitida durante esta reação química, que é exatamente o que causa os misteriosos flashes no céu.

3. Os chapéus nas estátuas da ilha de páscoa

O que eles são? Moai são as mascotes das ilhas de Páscoa. Estas enormes estátuas foram construídas pelo povo Rapa Nui, os habitantes aborígines das ilhas polinésias, durante o século 13-15. As estátuas são enormes, a maior delas tem 10 m de altura pesando 82 toneladas.

Como você pode ver na foto acima, alguns dos Moai têm chapéus. Eles simplesmente intrigaram os cientistas por décadas, já que os Rapa Nui de alguma forma conseguiram mover os acessórios de 12 toneladas nos topos das cabeças de seus heróis-estátua sem um guindaste.

Mistérios intrigantes

Como eles fizeram isso?

Em 2018, um meticuloso projeto de pesquisa que realizou alguns modelos em 3D demonstrou que isso era possível por meio da técnica a seguir. Primeiro, um cilindro foi esculpido na rocha vermelha do outro lado da ilha, que foi rolada até o local final, subindo por uma rampa especificamente criada que levava à cabeça da estátua.

15 pessoas foram necessárias para a tarefa: eles puxaram o cilindro pela rampa usando cordas. O cilindro foi então colocado em sua posição final na cabeça da estátua e moldado em sua forma final.  A rampa esclareceu o segredo de como os Moai receberam seus tão misteriosos chapéus de 2m de altura.

4. O Bloop

O que é isso? Em 1997, agências de notícias explodiram com a história sobre o som misterioso super alto gravado debaixo d'água na costa da América do Sul, apelidado de “Bloop”.

Os pesquisadores detectaram o som enquanto procuravam por vulcões submarinos e, em algum momento, eles acreditavam que algum animal gigantesco poderia tê-lo emitido.

Mistérios intrigantes

O que isso realmente é? Somente em 2005, os cientistas tinham evidências suficientes para afirmar que o “Bloop” não era um monstro marinho escondido nas profundezas do oceano, mas o som de um tremor de gelo. O termo descreve o processo quando um enorme pedaço de gelo se solta de uma geleira e cai no oceano.

Revendo horas de gravações de todo o mundo, os pesquisadores encontraram uma combinação perfeita. Os sons de gelo que romperam as geleiras na Antártida soaram como o misterioso “Bloop” de 1997, e finalmente o mistério foi resolvido.

5. Pedras de vela

O que elas são? O Vale da Morte na Califórnia é literalmente um dos pontos mais quentes da Terra. Além de seu recorde de temperaturas elevadas, ele contém o chamado “Racetrack”, um lago seco, que fornece o cenário do deserto para as pedras misteriosas de caminhada ou de navegação.

Por mais inacreditável que possa parecer, essas rochas comuns podem “viajar” de um lugar para outro até uma distância de 450 m. As rochas são geralmente de tamanho pequeno e médio (até 45 cm de diâmetro) e deixam rastros enquanto se movem em trajetórias retas ou em zigue-zague.

Mistérios intrigantes

O que eles são realmente? Acontece que esse mistério não é uma brincadeira, mas sim um problema físico muito difícil. Uma observação atenta das rochas conduzida em 2011 provou que as pedras se movem no inverno quando uma fina camada de água reveste a superfície do lago.

À noite, a água congela, mas derrete um pouco durante o dia, o que cria camadas de gelo flutuantes ao redor da pedra. Com uma forte rajada de vento, a camada de gelo transporta lentamente as rochas com uma velocidade máxima de 5 m por minuto.

Os cientistas sabem que isso é verdade porque eles próprios testemunharam o processo, bem como conduziram uma replicação no laboratório do processo, que produziu resultados idênticos.

 

 

Fonte de imagem: NOAA Photo LibraryMarc Kjerland

Conteúdo: scishow

Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Clique aqui "Registre-se", para concordar com os Termos e a Política de Privacidade
Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Clique aqui "Registre-se", para concordar com os Termos e a Política de Privacidade