header print

Mistérios finalmente resolvidos pela ciência

O Editor: Anna D.
  Os humanos adoram inventar histórias misteriosas e intrigantes sobre fantasmas, monstros marinhos, objetos animados e invasões alienígenas. A lista continua, e devo admitir que adoro ler essas lendas e histórias assustadoras de vez em quando, mas o que me emociona ainda mais do que as histórias assustadoras é quando eu descubro como esses mistérios foram resolvidos. Considere essas 5 histórias de mitos e lendas que viraram ciência como um bom romance policial, onde os cientistas são Sherlock Holmes e o mundo é o caso não resolvido.
 

1. O Fogo Fátuo

Acreditava-se que o fogo fátuo, também conhecidos no folclore brasileiro como Boitatá ou M'boitatá, eram fantasmas ou espíritos malignos vistos à noite sobre pântanos, pântanos e cemitérios na forma de luz bruxuleante com contornos de uma grande serpente.

De acordo com lendas de todos os cantos da Terra, os Boitatás são criaturas sobrenaturais que procuram enganar os viajantes, direcionando-os para a luz perto de uma armadilha.

Os humanos têm uma grande tendência a mistificar coisas que não entendem, e este caso apóia essa afirmação como nenhum outro. Como acontece com muitas lendas que se resumem a um fenômeno natural até então inexplicável, as vontades também podem ser explicadas pela ciência.

 

A ciência resolve mistérios

O que eles são realmente? 

São fenômenos que consistem na inflamação de certas matérias (principalmente fósforo) que sobem de substâncias animais ou vegetais putrefatas, e formam pequenas chamas que são vistas andando pelo ar a uma curta distância da superfície, isso é causado pela exposição de alguns gases inflamáveis ​​ao ar. Gases como o difosfato, um subproduto comum da decomposição da matéria orgânica por bactérias, podem explodir quando expostos ao oxigênio.

Em locais onde muita matéria orgânica é processada, como pântanos e cemitérios, esses gases estão presentes em altas concentrações e podem causar incêndios flutuantes e luzes bruxuleantes que desaparecem ao serem consumidas. Mistério resolvido.

 

2. Luzes sísmicas

Durante séculos, testemunhas de todo o mundo documentaram o aparecimento de luzes estranhas antes, durante e depois de grandes terremotos. Essas luzes podem se manifestar de diferentes maneiras: desde luzes azuis piscantes no horizonte até relâmpagos disparados do solo.

Eles podem aparecer semanas antes da ocorrência de um terremoto e podem ocorrer dentro de um raio de 160 km quadrados do epicentro do desastre. Até recentemente, ninguém sabia por que esses fenômenos ocorrem.

A ciência resolve mistérios

O que são realmente? 

O mistério foi desvendado por uma equipe de pesquisa de geólogos, que estudou todos os 65 casos bem documentados de luzes de terremotos em 2014 e determinou que certas rochas vulcânicas eram as culpadas pela anomalia.

Sob condições geológicas e meteorológicas muito específicas, essas rochas emitem uma carga elétrica como resultado de um aumento espontâneo da pressão do terremoto. Essa carga elétrica então se espalha pelo ar e o ioniza. Durante essa reação físico-química, a luz é emitida, que é exatamente o que causa os misteriosos flashes no céu.

 

3. Chapéus nas estátuas da Ilha de Páscoa

Moai são os símbolos das Ilhas de Páscoa. Essas enormes estátuas foram construídas pelo povo Rapanui, os habitantes aborígenes das ilhas da Polinésia, durante os séculos XIII e XV. As estátuas são enormes, a maior delas tem 10m de altura e pesa 82 toneladas.
Como você pode ver na imagem acima, alguns dos Moai têm chapéus. Esses toucados simples intrigaram os cientistas por décadas, pois queriam saber como os Rapanui conseguiam mover os acessórios de 12 toneladas sobre as cabeças de suas estátuas de heróis sem a necessidade de um guindaste.

 

A ciência resolve mistérios
                                                                                   Fonte da imagem: NOAA Photo Library,
Como os fizeram?
Em 2018, um projeto de pesquisa meticuloso que fez algumas modelagens 3D provou que isso era possível usando a técnica a seguir. Primeiro, um cilindro foi esculpido na rocha vermelha do outro lado da ilha, rolado até o local final e uma rampa criada especificamente que conduz à cabeça da estátua.
Para a tarefa foram necessárias 15 pessoas: puxaram o cilindro pela rampa com cordas. O cilindro foi então colocado em sua posição final na cabeça da estátua e moldado em sua forma final. A rampa foi desobstruída e foi assim que os moai obtiveram suas famosas cabeças de 2m de altura.

4. O Bloop
Em 1997, as agências de notícias explodiram com a história sobre o misterioso som super alto gravado debaixo d'água na costa da América do Sul apelidado de Bloop.
Os pesquisadores detectaram o som enquanto procuravam vulcões subaquáticos e, em algum momento, acreditaram que algum animal gigantesco poderia tê-lo emitido.
 
A ciência resolve mistérios

O que é realmente? 

Somente em 2005 os cientistas tiveram evidências suficientes para dizer que o Bloop não era um monstro marinho à espreita nas profundezas do oceano, mas o som de um terremoto de gelo. O termo descreve o processo no qual um grande pedaço de gelo se desprende de uma geleira e cai no oceano.

Revendo horas de gravações de todo o mundo, os pesquisadores encontraram uma combinação perfeita. Os sons do gelo quebrando nas geleiras da Antártica soaram como o misterioso Bloop de 1997, e o mistério foi resolvido.


5. Pedras que caminham
O Vale da Morte na Califórnia é literalmente um dos lugares mais quentes da Terra. Além de suas temperaturas recordes, ele contém o chamado Racetrack, um lago seco, que fornece o cenário do deserto para as misteriosas pedras que caminham ou navegam.
Por incrível que pareça, essas rochas comuns podem "viajar" de um lugar para outro até uma distância de 450m. As rochas são geralmente de tamanho pequeno e médio (até 45cm de diâmetro) e deixam pegadas quando se movem em caminhos retos ou em zigue-zague..
A ciência resolve mistérios
                                                                             Fonte da imagem:Marc Kjerland
 

O que são realmente? 

Acontece que esse mistério não é uma piada, mas um problema de física muito difícil. Um olhar atento sobre as rochas em 2011 mostrou que elas se movem no inverno, quando uma fina camada de água cobre a superfície do lago.

À noite, a água congela, mas derrete um pouco durante o dia, criando camadas flutuantes de gelo ao redor da pedra. Com uma rajada de vento particularmente forte, o manto de gelo carrega lentamente as rochas a uma velocidade máxima de 5m por minuto.
Os cientistas sabem que isso é verdade porque eles próprios testemunharam o processo, bem como o replicaram em laboratório, que produziu resultados idênticos.

 
Compartilhe esta informação com os amantes da ciência!
Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Clique aqui "Registre-se", para concordar com os Termos e a Política de Privacidade
Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Clique aqui "Registre-se", para concordar com os Termos e a Política de Privacidade