header print

Cientistas Afirmam: Podemos Ter Encontrado a Origem da Consciência

 Os cientistas acabam de descobrir, pela primeira vez, um neurônio gigante enrolado em toda a circunferência do cérebro de um rato. O neurônio foi um dos três encontrados que é densamente conectado em ambos os hemisférios e pode finalmente explicar as origens da consciência. Esta descoberta foi encontrada usando uma nova técnica de imagem.

 

Esta nova técnica de imagem poderia nos ajudar a descobrir se estruturas semelhantes passaram despercebidas em nossos próprios cérebros. Em uma recente reunião entre os pesquisadores do avanço de neurotecnologia da cidade de Maryland, nos Estados Unidos, juntamente com a equipe do Instituto Allen da Ciência do Cérebro, descreveram como este neurônio envolve a circunferência do cérebro como uma coroa de espinhos.

 
A ciência finalmente encontrou a fonte da consciência humana?

Descobriu-se que todos os três neurônios gigantes de uma parte do cérebro têm demonstrado ter conexões intrigantes para a consciência humana no passado - o claustrum - uma folha fina de matéria cinzenta que poderia ser a estrutura mais conectada em todo o cérebro. Esta região do cérebro se comunica com quase todas as regiões do córtex para alcançar muitas funções cognitivas superiores, como linguagem, planejamento de longo prazo e tarefas sensoriais avançadas, como ver e ouvir.

Em 2014, uma mulher de 54 anos de idade entrou para a Faculdade de Medicina da Universidade George Washington em Washington D.C. para tratamento de epilepsia, envolvendo suavemente várias regiões do cérebro com eletrodos para diminuir a potencial fonte de crises epilépticas. Quando começaram a estimular o claustrum da mulher, uma área do cérebro que foi referida como o condutor da consciência, eles descobriram que poderiam efetivamente mudar sua consciência novamente.

A ciência finalmente encontrou a fonte da consciência humana?

Quando esta área do cérebro foi apagada com impulsos elétricos de alta frequência, a mulher perdeu a consciência. Ela parou de ler e olhou inexpressivamente para o espaço. Além disso, ela não respondeu aos comandos auditivos ou visuais e sua respiração diminuiu. No momento em que a estimulação parou, no entanto, ela recuperou a consciência sem lembrar o que aconteceu. Durante dois dias de experiências, o mesmo processo foi repetido. Mais tarde, notou-se que esse tipo de interrupção abrupta e específica e início da consciência nunca tinha sido visto antes.

Em outro experimento conduzido em 2015, foram examinados os efeitos das lesões claustrum sobre a consciência de 171 veteranos de combate com lesões cerebrais traumáticas. Verificou-se que o dano foi associado com a duração, não com a frequência de perda de consciência, implicando que ele poderia desempenhar um papel importante na troca e desativação do pensamento consciente, outra região poderia estar envolvida na manutenção.

Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer: