header print

Sabedoria oriental: O Monge e a Canoa

O Editor: Anna D.

 Esta história começa com um monge que decidiu meditar sozinho, longe de seu mosteiro.

O monge remou sua canoa até o centro do lago, parou ali, fechou os olhos e começou a meditar.

Depois de algumas horas meditando e em completo silêncio, ele sentiu o súbito baque de uma canoa batendo na sua.

Mesmo com os olhos fechados, ele sentiu sua raiva começando a despertar.

Cuento Espiritual: El Monje y El Bote

Novamente, ele sentiu outro golpe e sua raiva aumentou. Naquele momento, ele estava pronto para xingar o barqueiro que ousara perturbar sua meditação.

No entanto, quando abriu os olhos, ficou surpreso ao ver que era uma canoa vazia batendo na sua.

Essa canoa provavelmente tinha se soltado das amarras do pier e estava flutuando em direção ao centro do lago.

Naquele momento, o monge entendeu que a raiva estava dentro dele e que ele só precisava de um pequeno golpe de um objeto externo para fazê-la sair.

Ele aprendeu a lição e toda vez que encontrava alguém que o irritava, lembrava-se de que a raiva estava dentro dele e a outra pessoa era apenas uma canoa vazia.

Qual sua opinião sobre isso? Você acha que às vezes reage como o monge e culpa os outros por sua raiva?

Compartilhe esta pérola de sabedoria com sua família e amigos!

Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Clique aqui "Registre-se", para concordar com os Termos e a Política de Privacidade
Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Clique aqui "Registre-se", para concordar com os Termos e a Política de Privacidade