header print

Os 7 aquarelistas mais influentes da arte ocidental

O Editor: Anna D.

 

A pintura em aquarela é um diferente e é considerada uma das formas de arte mais acessíveis. Afinal, muitos de nós crescemos fazendo pinturas em aquarela durante as aulas de desenho da escola. Embora possa ser acessível e visualmente agradável, essa forma de arte certamente não é fácil de dominar.

Conhecida por sua delicadeza e sutileza, a pintura em aquarela tem uma história rica. Suas raízes remontam à Europa Paleolítica, mas tornou-se popular na Idade Média e no Renascimento. Um dos primeiros exemplos de aquarelas como arte pode ser apreciado na majestosa pintura da Capela Sistina. O teto desta famosa capela na Cidade do Vaticano foi pintado pelo eminente artista Michelangelo entre 1508 e 1512 e ainda é visto como seu melhor trabalho.

Ao longo da história, houve alguns artistas aquarelistas notáveis cujas obras trouxeram a técnica para os grandes "salons" de arte. Enquanto a pintura em aquarela foi inicialmente usada principalmente como pintura em gesso úmido (afresco), as obras de artistas influentes ajudaram a transformá-la em uma arte capaz de representar imagens impressionantes e poderosas quando aplicadas ao papel. Para entender completamente o fascínio da pintura em aquarela hoje, devemos olhar para alguns dos artistas mais populares ao longo da história da arte ocidental. Seus trabalhos continuam a inspirar artistas iniciantes até os nossos dias.

1. John Singer Sargent (1856 – 1925)

John Singer Sargent

“Gondoliers’ Siesta,” 1904. (Fonte da imagem - Wikimedia Commons)

Enquanto ele era famoso por seus retratos distintos, os trabalhos em aquarela de John Singer Sargent retratavam um ângulo diferente do talentoso artista. Seus retratos a óleo eram executados meticulosamente e apresentavam cenários escuros e grandiosos, além de cores suaves. No entanto, suas pinturas em aquarela eram muito mais relaxadas e Sargent usava traços soltos e vívidos nelas. Muitas de suas pinturas em aquarela eram das paisagens que ele havia visitado e pareciam esteticamente agradáveis com suas misturas simples e divertidas de cores. Imagens de navios e da costa eram uma característica regular de suas pinturas feitas em cores vivas, claras ou escuras, em nítido contraste com seus retratos a óleo que eram formais. Em geral, os trabalhos em aquarela de Sargent podem ser reconhecidos por suas grandes formas de cores com detalhes escuros, porém simples. Eles também revelaram o incrível controle e precisão do artista.

John Singer Sargent

“Muddy Alligators,” 1917.​ (Fonte da imagem - Wikimedia Commons​)

2. Winslow Homer (1836 – 1910)

Winslow Homer , watercolor

"Boys in a Dory," 1873. (Fonte da imagem - Wikimedia Commons​)

"Você verá que, no futuro, viverei das minhas aquarelas." Foi o que Winslow Homer disse certa vez a um de seus agentes. Ninguém havia antecipado que suas palavras se tornariam realidade. No seu auge, Homer era amplamente considerado o maior pintor de paisagens marinhas da América. No entanto, o artista autodidata também se tornou um mestre do uso da aquarela.

Winslow Homer , artist

"Three Fisher Girls,” 1881.  (Fonte da imagem - Wikimedia Commons)

Homer iniciou uma série de aquarelas em 1881, com base em suas experiências durante a época em que viveu na vila de pescadores de Cullercoats, na Inglaterra. Ele preferia focar nos modos antigos na maioria de suas pinturas em aquarela, onde retratava fluidamente cenas do cotidiano de pessoas comuns. Homer se especializou em pintar cenas idílicas e tranquilas de crianças e mulheres realizando suas tarefas diárias. Havia uma simplicidade sóbria e nobre nas aquarelas de Homer que as destacaram e o estabeleceram como um dos melhores artistas nessa técnica. 

Winslow Homer

"The Gulf Stream," 1899. (Fonte da imagem - Wikimedia Commons)

3. John James Audubon (1785 – 1851)

John James Audubon , bird painting

Depiction of a Ruffed Grouse in the book The Birds of America by John James Audubon. (Fonte da imagem - Wikimedia Commons)

John James Audubon é mais conhecido por 'Os Pássaros da América', que ainda é comemorado como um dos melhores livros sobre ornitológia já produzidos. O livro pioneiro apresentava uma série de 435 lindíssimas pinturas em aquarela, em tamanho natural e coloridas à mão, da avifauna principal da América. Embora ele não fosse um naturalista treinado, o amor de Audubon pelos pássaros o levou a aperfeiçoar sua arte. De muitas maneiras, seu livro inovador deu início à prática de representações naturalistas em formas de aquarela. O "Birds of America" ainda é considerado "um marco na história natural do século XIX".

John James Audubon , artist

Roseate Spoonbill from Birds of America (1827). (Fonte da imagem - Wikimedia Commons)

As principais características das pinturas de Audubon eram os detalhes intrincados do que era retratado. Curiosamente, ele usaria um sistema de fios e alfinetes para montar cada espécime em uma postura realista e depois pintá-los em papel. Em uma exibição de seus trabalhos em 2014 na Sociedade Histórica de Nova York, o texto dizia: “as aquarelas possuem um imediatismo surpreendente e um frescor que sublinham sua genialidade em vincular história natural e arte, bem como respeito ao meio ambiente."

John James Audubon , bird painting

Red-necked Grebe from Birds of America (1827). (Fonte da imagem - Wikimedia Commons)

4. Thomas Moran (1837 – 1926)

Thomas Moran

"The Yellowstone Canyon," 1902. (Fonte da imagem - Wikimedia Commons)

Thomas Moran era conhecido por suas aquarelas brilhantes de paisagens. Suas pinturas etéreas do Parque Nacional de Yellowstone, em particular, inspiraram muita apreciação. De fato, foram suas brilhantes representações dos gêiseres, cachoeiras e fontes termais da região na década de 1870 que convenceram o Congresso dos EUA a criar formalmente o primeiro parque nacional do país e chamá-lo de Yellowstone em 1892.

Thomas Moran , Grand Canyon

"The Grand Canyon of the Yellowstone," 1872. (Fonte da imagem - Wikimedia Commons)

Moran tinha um grande interesse em estudos da natureza, que ele traduziu para aquarelas em seu estúdio. Seu principal motivo era transmitir a luz inexprimível e a beleza de tirar o fôlego das várias paisagens do país. Alguns dos outros trabalhos em aquarela de Moran incluem panoramas vívidos do Grand Canyon e do Parque Nacional de Yosemite. Essas pinturas se tornaram tão populares que as imagens da paisagem americana do século XIX são agora sinônimos das obras de Thomas Moran.

Thomas Moran , watercolor

"Mosquito Trail," 1874. (Fonte da imagem - Wikimedia Commons)

5. Reginald Marsh (1898 – 1954)

Reginald Marsh

“Locomotive,” 1932. (Fonte da imagem - My Modern Met)

Reginald Marsh era mais conhecido por suas pinturas do cotidiano da cidade de Nova York nas décadas de 30 e 40. Locomotivas, barcos, shows burlescos, Coney Island, Bowery, cinemas e homens sem emprego eram regularmente apresentados em seus trabalhos. Coney Island, em particular, era seu refúgio favorito e Marsh passava horas lá, observando profundamente a vida cotidiana nas ruas, praias e transporte público e enchendo seu caderno de esboços com desenhos de pessoas em diferentes posturas.

Reginald Marsh , artist

"Tug Boats, New York,” 1938. (Fonte da imagem - My Modern Met)

Marsh trabalhou como ilustrador para o The Daily News em Nova York na década de 1920 e foi aí que ele percebeu que poderia transformar os assuntos de seus desenhos em arte. "Comecei a trabalhar com aquarela sem prévia prática e logo me dei bem", disse ele uma vez.

As pinturas de Marsh tinham um estilo único e realista. Embora ele também pintasse com têmpera de ovo, óleos e tinta, foram os trabalhos em aquarela os mais aclamados.

Reginald Marsh , watercolor painting

"Unloading the Mail,” 1936. (Fonte da imagem - Wikimedia Commons)

6.  J.M.W. Turner (1775 – 1851)

J.M.W. Turner

“Nantes from the Ile Feydeau,” 1829-1830.  (Fonte da imagem - Wikimedia Commons)

Nos seu auge, Joseph Mallord William Turner era considerado um dos artistas britânicos mais importantes. Nas seis décadas de sua ilustre carreira, Turner influenciou bastante a opinião pública sobre a paisagem e a pintura em aquarela através de seus trabalhos. Ele foi um dos primeiros durante seu tempo a ampliar a contribuição da luz, cor e chave de cores na pintura. Com pinceladas soltas e cores vibrantes, Turner chocou seus contemporâneos ao apresentar um estilo de arte que não era comum naqueles dias. Algumas de suas melhores obras incluíram representações magníficas de tempestades e paisagens narrativas atmosféricas. Ele foi atraído por paisagens, principalmente onde a terra encontra a água. Os belos efeitos causados pela luz e pelo clima inspiraram significativamente suas pinturas.

J.M.W. Turner , painting

“Great Yarmouth Harbour, Norfolk,” 1840. (Fonte da imagem - Wikimedia Commons)

Representações sublimes de Veneza também aparecem fortemente nas obras de Turner. Porém, mais do que retratos precisos de cenas venezianas, o artista tentou capturar o espírito do lugar. Ele disse uma vez: "Meu interesse é pintar o que vejo, não o que sei que existe".

Turner também gostava de exibir literatura, mitologia e história através de suas obras. Ele ficou tão proficiente em sua arte que, no auge de sua carreira, foi aclamado como um talentoso aquarelista topográfico.

7. William Blake (1757 – 1827)

William Blake , artist

"Pity,” 1795.  (Fonte da imagem - Wikimedia Commons)

Ele é mais conhecido como um dos maiores poetas da língua inglesa. No entanto, William Blake também era um artista visionário que costumava publicar seus próprios livros com suas ilustrações coloridas à mão. Por volta dos 20 anos, ele estudou com um gravurista por sete anos e aprendeu muito bem a arte de textos gravados. Mas ele logo foi atraído pela pintura em aquarela e dominou uma técnica que foi nomeada como "afresco". Era basicamente a impressão em monotipia, onde Blake primeiro pintava em uma superfície plana e depois a aplicava no papel. Ele completaria cada um deles separadamente com tinta, o que tornaria cada imagem distinta uma da outra.

William Blake , watercolor

"Satan Smiting Job with Sore Boils,” 1826.  (Fonte da imagem - Wikimedia Commons)

Um homem profundamente religioso, Blake foi inspirado por histórias religiosas e míticas, e esses assuntos eram frequentemente claros nos temas de suas pinturas. De fato, muitos de seus trabalhos em aquarela foram baseados na "Divina Comédia" de Dante Alighieri. Aspectos de Michelangelo e arte maneirista também são perecptíveis nas obras de Blake.

William Blake , watercolor painting

"The Night of Enitharmon's Joy,” 1795.  (Fonte da imagem - Wikimedia Commons)

 

Gostou? Inspire-se!
 

Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Clique aqui "Registre-se", para concordar com os Termos e a Política de Privacidade
Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Clique aqui "Registre-se", para concordar com os Termos e a Política de Privacidade