header print

Quando um Proprietário Se Recusa a Vender...

O conceito de "casa da discórdia" é antigo, e vem de uma situação em que uma pessoa ou uma empresa pretende adquirir terras para desenvolver um projeto, mas alguns dos proprietários dessas terras e/ou imóveis se recusam a vendê-las por diferentes razões. O comprador prossegue com o seu projeto, executando-o em volta da propriedade problemática, obtendo, muitas vezes, resultados questionáveis. Na China, as “casas da discórdia” são muito comuns, especialmente desde que o país começou a passar por um processo de rápido desenvolvimento. Aqui estão 15 exemplos engraçados, estranhos e definitivamente bizarros do que os chineses chamam de  “casas-prego”.

casas, repúdio
Uma casa de 3 andares interrompe a autopista na província de Liaoning.
 
casas, repúdio

Esta casa está localizada no meio da rua, na província de Guangxi e a foto foi tirada em 2015. As notícias dizem que os proprietários não chegaram a um acordo sobre a compensação financeira com as autoridades locais.

 
casas, repúdio

Outra disputa sobre compensação levou essas pessoas a viverem em uma cratera na província de Chongqing, 2008.

 
casas, repúdio

O proprietário deste edifício, na província de Yunnan, recusou-se a vender sua propriedade, mesmo depois que a empreiteira que queria comprá-la cortou o fornecimento de água e eletricidade, e até mesmo cavando um fosso em torno dela.

 
casas, repúdio

Quando todos os proprietários dos apartamentos deste edifício recusaram-se a vender as suas moradias, encontraram-se morando meio de uma rampa de autopista.

 
casas, repúdio

Na província de Hunan, 2007. Uma solitária "casa prego" segue no meio de uma área comercial. O fato de que o proprietário não quis vender sua casa não impediu os empreiteiros de construirem no entorno.

 
casas, repúdio

Esta foto foi tirada em abril de 2007. O edifício de 6 andares destaca-se no meio de uma construção, na província de Xinjiang. O proprietário do edifício e sua esposa recusaram-se a aceitar a proposta de indenização feita pela empreiteira, que planeja construir um centro comercial. O casal exige que a empreiteira lhes indenize com uma área equivalente OU o triplo da importância oferecida como compensação.

 
casas, repúdio
Guangzhou, ano de 2008, outra família que se recusa a vender sua propriedade, declarando que a proposta de compensação era demasiado baixa.

casas, repúdio
O proprietário desta "casa prego" finalmente chegou a um acordo com a companhia empreiteira. Nesta foto de janeiro de 2008, você pode ver a casa sendo implodida após ser assinado o acordo financeiro.
 
casas, repúdio

Outra "casa prego" na Província de Zhejiang, elevando-se, isolada, no meio de uma área destinada tornar-se um centro comercial

 
Over
casas, repúdio

Esta família na província de Hubei se recusa a vender a sua casa. A imagem é de 2013.

 
Over
casas, repúdio

A faixa em volta da casa diz: "Eu exijo que o governo aplique uma punição ao empreiteiro que destruiu a minha propriedade. Dê-me de volta a minha casa.". Este imóvel está no meio de uma área que será utilizada para a construção de um loteamento residencial e a foto foi tirada em 2008, na província de Anhui.

 
casas, repúdio

Esta área deveria ter sido escavada para estabelecer as fundações da futura construção, mas os donos da "casa prego" recusaram-se a vendê-la e é por isso que ela pode ser vista lá, no alto da “colina”.

 
Over
casas, repúdio

Uma mulher pendura suas roupas recém-lavadas no varal de uma casa em ruínas em uma área planejada para a construção de grandes torres residenciais.

 
casas, repúdio

Este edifício de 5 andares está localizado no meio de uma auto-estrada na província de Zhejiang. A foto é de novembro de 2012. Os proprietários do edifício, um casal de idosos, recusaram-se a concordar com sua demolição, declarando que a proposta de compensação não era suficiente para construir uma casa semelhante em outro lugar.

 
Fonte: Joan C.
Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer: