header print

Cogumelos 'Mágicos' Podem Suavizar os Sintomas da Depressão

 De acordo com um estudo preliminar, a psilocibina, ingrediente principal em cogumelos alucinógenos, pode ajudar a aliviar os sintomas de depressão.

A pesquisa teve um pequeno tamanho de amostra de apenas 20 pacientes e nenhum grupo de controle que obteve um placebo para o bem de uma comparação. Isso dificulta tirar conclusões sólidas sobre o fato de que o composto alucinógeno realmente funcionou na luta contra a depressão. No entanto, os dados de novas pesquisas cerebrais sugerem que a psilocibina afeta as redes cerebrais associadas à depressão.

 
depressão

O autor do estudo, David Nutt, professor de psicofarmacologia no Imperial College de Londres, afirma que "estudos maiores são necessários para ver se esse efeito positivo pode ser reproduzido em mais pacientes. Mas essas descobertas iniciais são emocionantes e oferecem outro caminho de tratamento para explorar".

Depressão resistente

Os pesquisadores se concentraram em 20 pessoas que experimentaram tratamentos de depressão normais e descobriram que faltava algo. Cada participante, classificado como tendo depressão resistente ao tratamento, tomou uma dose de 10 miligramas de psilocibina, seguida de mais 25 miligramas uma semana depois - o suficiente para causar efeitos alucinógenos.

Antes do tratamento e no dia seguinte à segunda dose, os participantes foram submetidos a varreduras cerebrais para medir mudanças no fluxo sanguíneo e conexões entre regiões cerebrais. Dezesseis dos vinte pacientes passaram por todo o estudo.

 

O achado mais marcante foi que a psilocibina, que ocorre naturalmente em centenas de espécies de cogumelos, diminuiu significativamente os sintomas de depressão. As pontuações no ‘Inventário Rápido de Sintomatologia Depressiva’, a medida de detecção de depressão mais comumente utilizada, diminuíram em média cerca de 10 pontos em 27 por dia após a segunda dosagem. Os pesquisadores relataram que todos os pacientes apresentaram algum declínio nos sintomas e 12 sofreram pelo menos 50% de queda.

Alguns cientistas sugeriram que isso poderia ser devido a um período similar à de lua de mel nos dias que seguem uma experiência psicodélica. Portanto, para ver se houve alterações cerebrais ligadas às melhorias de humor associadas e ao alívio do estresse, os pesquisadores examinaram os cérebros dos participantes um dia depois das doses serem tomadas.

depressão

Os resultados mostraram um fluxo sanguíneo reduzido na amígdala cerebelosa esquerda, uma região do tamanho de uma amêndoa no cérebro que controla a emoção e o medo. Os pesquisadores também perceberam uma evolução na rede de áreas do cérebro mais ativas quando as pessoas estão sonhando acordadas ou pensando em algo. Durante a terapia eletroconvulsiva, em que as correntes elétricas percorrem pelo cérebro como um tratamento de depressão, as redes ativas rapidamente se tornam menos funcionais e depois se recuperam além de sua condição de base. Algo semelhante pode acontecer com a psilocibina, que pode inicialmente interromper e, em seguida, redefinir esta rede, dando ao cérebro um novo começo que se correlaciona com menos sintomas de depressão até cinco semanas após o tratamento.


Seria um novo método de tratamento?

Em um comunicado, o líder do estudo, Robin Carhart-Harris, diretor de Pesquisa Psicodélica do Imperial College, disse que "com base no que sabemos de vários estudos de imagem cerebral com alucinógenos, além de tomar conhecimento do que as pessoas dizem sobre suas experiências, pode ser que os alucinógenos realmente "reajustem" as redes cerebrais associadas à depressão ".

No entanto, este tratamento não está pronto para ser liberado. Sem um grupo de controle, os pesquisadores não podem ter certeza de que os pacientes não estavam apenas experimentando um efeito placebo. Portanto, eles sugerem que este estudo deve ser visto como um primeiro passo para explorar drogas alucinógenas como um tratamento para a depressão.

Este não é o primeiro estudo que sugere que há alguns benefícios da psilocibina para pessoas com depressão. Em 2011, um estudo similarmente pequeno descobriu que um ano depois de tomar psilocibina, os participantes relataram maior satisfação e bem-estar, além de aumentar a espiritualidade e melhorar as relações familiares. Esses pesquisadores concluíram que a psilocibina parece provocar sensação de conexão e significado, o que pode ser uma benção para a saúde mental.

No entanto, o alucinógeno também pode causar efeitos colaterais perigosos. Um estudo de 2017 realizado pela Universidade Johns Hopkins descobriu que de mais de 2 mil pessoas que tiveram uma "viagem ruim" em psilocibina, 10% sentiram que eles haviam sido um perigo para si mesmos ou para outros durante o episódio.

Roland Griffiths, psicofarmacologista da Faculdade de Medicina da Universidade Johns Hopkins, declarou que "considerando os efeitos negativos e os resultados positivos que os entrevistados relataram, os resultados da pesquisa confirmam nossa visão de que nem usuários nem pesquisadores podem ser realistas sobre os riscos associados à psilocibina".

Fonte: livescience
Imagens: depositphotos 

Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer:
Registre-se Gratuitamente
Você quis dizer: